segunda-feira, 30 de setembro de 2019

"quem é contra a carne de vaca...é o mundo da noite e da droga"


As vergonhosas declarações acima fazem hoje capa no jornal i, tendo sido produzidas pelo engenheiro Eduardo Manuel Drummond de Oliveira e Sousa, Presidente da CAP, a conhecida associação dos empresários de produção industrial de animais.  

Sobre as referidas declarações do Presidente da CAP, já apresentei queixa a quem de direito, à Ordem dos Engenheiros, Seja como for e ainda sobre drogas importa perguntar,  quem serão aqueles empresários de que se fala nos extractos abaixo, que usam antibióticos em excesso, serão por acaso associados da CAP ? 



E quando é que será que os talhos e os restaurantes serão obrigados a informar os clientes sobre a quantidade de antibióticos presente na carne que lhes é vendida ?

Imperial College___“great scientists leave academia”


“I’ve seen great scientists leave academia — not because they want to, but because the system has crushed them.” https://www.nature.com/articles/s41563-019-0432-2

Its worth remembering that the Imperial College really has a reputation concerning “crushing” because is the same place where Full Professor Stefan Grimm committed suicide because he was unable to raise enough research funding to meet the target of “£200,000 per year”

Paulo Portas confia nos cientistas para salvar a Terra


Depois da sua científica comunicação da semana passada na TVI dirigida ao Reitor da Universidade de Coimbra https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/09/paulo-portas-o-cientista-faz-importante.html ontem o genial Paulo Portas revelou aos Portugueses que não está minimamente preocupado com os desafios ambientais porque confia cegamente na capacidade de inovação dos cientistas, que dessa forma permitirão que (aqueles que podem) possam continuar com a sua vidinha do costume, podendo continuar a consumir o que quiserem, quando quiserem e sem terem que se preocupar com patéticas minudências como seja o que é que esses consumos significam em termos ambientais. 

Ou seja para o Paulo Portas os cientistas são uma espécie de limpadores do lixo produzido pela Humanidade. Estará por certo a referir-se aos fenomenais cientistas do CDS (leia-se da Universidade Católica, os melhores de Portugal como o demonstra de forma inequívoca o famoso e abençoado ranking THE) https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/09/presidente-da-a3es-revela-segredos-do.html  cientistas esses que não custa acreditar já têm planos para inventar uma fenomenal maquineta, que energicamente alimentada através de um eficientíssimo processo de fusão a frio, conseguirá sugar o carbono da atmosfera transformando-o em ar quente no Inverno e frio no Verão (uma espécie de ar condicionado de última geração com consumo eléctrico nulo).

Imediatamente a seguir também inventarão uma outra capaz de reciclar resíduos de plástico indiferenciados em acções do BCP, isto numa versão preliminar, mas depois numa versão posterior, já bastante melhorada em maços de notas de kwanzas, não é dinheiro em caixa mas é bom para o ambiente.  E finalmente uma terceira que irá responder ao famoso desafio do Bill Gates https://www.gatesfoundation.org/Media-Center/Speeches/2018/11/Reinvented-Toilet-Expo transformando dejectos em bifes do lombo, daqueles com proteína bio de primeiríssima qualidade, os tais de que fala a historiadora Raquel Varela, feito que será alcançado através de um processo biotecnológico extremamente complexo sustentado numa formulação quântica mais complexa ainda e que sem dúvida será merecedor em simultâneo de quatro prémios Nobel (da Química, da Física, da Economia e da Paz) o que permitirá também levar a que a Universidade Católica consiga liderar em Portugal o ranking Shanghai, assim calando de uma vez por todas, os ímpios invejosos que muito injustamente tem duvidado do excelentíssimo mérito científico daquela instituição.  


domingo, 29 de setembro de 2019

Reitora da Católica ataca Presidente da A3ES


O semanário Expresso perdeu ontem o seu precioso tempo a escrever alguma coisinha sobre a nova classificação da Universidade Católica naquele ranking que alguns qualificam de ranking-lixo https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/09/os-rankings-da-treta-e-as-universidades.html Informou a peça jornalística que quando a Reitora da Católica soube das dúvidas do Presidente da A3ES sobre qual seria o abençoado indicador capaz de fazer o impensável, conseguir colocar a Universidade Católica à frente de todas as outras Portuguesas, não ficou aquela mesmo nada contente, tendo logo escrito “é escandalosa a forma como o Presidente da A3ES ataca, sem filtros, a instituição Portuguesa com melhor classificação no ranking. Evidência faltasse para a falta de isenção, aí está a prova”.

Compreende-se que alguém da área das Humanidades com a portentosa obra indexada que até hoje mereceu dos seus pares 5 (cinco) fabulosas citações https://www2.scopus.com/authid/detail.uri?authorId=57160781800 tenha dificuldades em perceber como é que se processa o método científico, que manda investigar sempre que há dúvidas. Ou achará a Sr. Reitora que o Presidente da A3ES (e todos aqueles que partilham da mesma opinião) são culpados do crime de blasfémia por terem dúvidas sobre o abençoado ranking ?

Dirão alguns que a Sr. Reitora anda tão desesperada por ver se a A3ES lhe aprova um curso de medicina que resolveu utilizar o presente pretexto para tentar condicionar a A3ES. Já eu digo que vai faltando a paciência para aturar esta católica universidade que se especializou, não em formações teológicas mas noutras que são muito pouco católicas como aquelas feitas na tal Business School da mesma, que faz o que fazem todas as outras do mesmo ramo ou será que publicações com o título Hedge funds and stock market efficiency é que são o reflexo da investigação abençoada pelo Papa Francisco ? 

Porém e no que respeita à Universidade Católica aquilo que me interessa realmente saber é o seguinte:
-Primeiro, quantos milhões de euros do dinheiro dos contribuintes Portugueses é que financiam o negócio de 50 milhões, entre o AICEP, a Universidade Católica e uma empresa Americana ?
“Amyris believes this is the largest biotechnology grant ever awarded in Portugal and one of the largest ever approved by the AICEP for commercial applications”. https://investors.amyris.com/2018-06-12-Amyris-Announces-Signing-of-Major-UCP-in-Porto-AICEP-Consortium-Project-Agreement-Valued-at-50-Million
-Segundo, quantas unidades de investigação concorreram ao concurso público para escolher aquela mais competente para fazer a investigação em causa ?
-Terceiro, será que houve mesmo um concurso público ?

Enquanto os super-ricos só pensam em escapar a restante maioria continua a cantar e a dançar


Só pode ser um sinal inequívoco de uma enorme falta de inteligência (ou no mínimo de ausência de um módico de bom senso), que haja quem pense, que face aos diferentes e graves avisos que chegam por via de inúmeros factos e projecções https://www.smh.com.au/environment/climate-change/a-crying-shame-humanity-sleepwalking-to-disaster-20190911-p52qay.html que pode continuar alienadamente a cantar e dançar, não percebendo sequer que aqueles possuidores de recursos suficientes para poderem efectivamente cantar e dançar a toda a hora, andam estranhamente obcecados em salvar-se https://onezero.medium.com/survival-of-the-richest-9ef6cddd0cc1  

E se até alguém como o Ministro do Ambiente Matos Fernandes, que disse em Maio passado que "temos de deixar de ser donos daquilo que nos dá conforto" será que o fez porque se juntou a alguma seita que defende o asceticismo? Ou porque perspectiva que esse conforto acabará inevitavelmente, como vaticinou o físico Martin Desvaux, por um dia ter que ser retirado à força? “Humans will not willingly sacrifice much of their comfortable lifestyles for the greater good (especially for people in other countries) unless it is taken from them...”

Alguém disse há poucos dias sobre o discurso indignado da jovem Greta Thunberg na ONU que isto vai correr mal. Claro que isto vai correr mal, mas não vai correr mal por conta da legitima raiva da referida jovem, mas antes porque sempre foi uma aposta de elevado risco os países ricos acharem que podiam indefinida e impunemente fazer o que sempre fizeram, deixando aos países pobres as consequências desses actos, não só em termos de emissões de gases com efeito de estufa mas também e principalmente pela exportação para esses países de resíduos incluindo resíduos tóxicos 

PS - A parte irónica é que são os jovens nos países ricos que vão fazer aquilo que os desgraçados do terceiro mundo não podem fazer. A parte desagradável porém ainda nem sequer começou a materializar-se, porque quando os referidos jovens perceberem que faltar às aulas, fazerem manifestações e ocuparem ruas são acções absolutamente inconsequentes nessa altura (alguns deles menos pacíficos) concluirão que só lhes resta a radicalização e consequentemente o eco-terrorismo. https://global4cast.org/2019/04/eco-terrorism-is-a-matter-of-time/

Em desacordo com o Vital Moreira



O catedrático jubilado Vital Moreira tentou esta semana, em post no link acima,  rebater a critica segundo a qual as actuais eleições legislativas são ilegítimas. Sem sucesso porém, porquanto por mais que se esforce não consegue ultrapassar a evidência, que um voto no PSD ou no PS vale o triplo de um voto num novo partido como o PAN e que essa aberração não é alheia ao facto do PSD e PS, que elaboraram a Constituição a seu bel prazer,  desenharam um sistema eleitoral para dominar a Assembleia da República e durante os últimos 45 anos satisfazerem os ilegítimos interesses particulares dos seus amigos e conhecidos, naquilo que o catedrático Nuno Garoupa apelidou em Março deste ano de cleptocracia de qualidade  

Coincidentemente também em Março deste ano o catedrático Francisco Louçã recordou no Expresso que em conjunto com outros dois académicos estudou o percurso de 776 governantes (ministros e secretários de estado) em 19 governos. Destes governantes 32% nunca o tinham sido mas depois da experiência governativa passaram a administradores no sector privado (113 na finança, 92 na industria e energia e 43 nas áreas do imobiliário e das comunicações). Porém como os governos não são escolas de alta administração e quem lá passa não fica por isso automaticamente graduado com o diploma de competente administrador só resta concluir que a banca e os grandes grupos económicos contrataram esses antigos governantes como administradores por uma simples razão...pela possibilidade de fazerem bons negócios com o Estado ou no mínimo para conseguirem algumas benesses desse mesmo Estado. Só resta por isso tentar adivinhar quanto é custaram ao Estado Português essas benesses e negociatas ? 

Entre os quase 20.000 milhões de prejuízos por conta de negociatas nas PPPs (11 mil milhões somente nas PPPs rodoviárias), os 20.000 milhões que a banca fez desaparecer nos últimos 10 anos (Expresso dixit) e os quase 20.000 milhões/ano de que se fala aqui https://www.jornaldenegocios.pt/economia/detalhe/corrupcao-custa-a-portugal-182-mil-milhoes-por-ano ninguém se pode admirar porque é que Portugal está como está e tem as dividas que têm ! 


Portugal é o segundo país com maiores índices de tráfico de seres humanos para efeitos laborais


A frase acima foi dita pelo deputado do PAN durante o último debate e o jornal Público colocou-se ao caminho para confirmar se o mesmo deputado tinha dito algo sem qualquer correspondência com a realidade. Mas ainda bem que o fizeram, já que depois de analisarem os dados não tiveram outro remédio senão concluir a peça jornalística com as palavras “André Silva tem razão, segundo os dados da Comissão da Europeia”.

sábado, 28 de setembro de 2019

Os rankings da treta e as Universidades do Porto e de Lisboa


Constato com estranheza que a Universidade do Porto, que ao mesmo tempo que ainda não apagou da sua página oficial a referência a dois rankings da treta (THE e QS, rankings que o Simon Marginson, professor da U.Oxford classificou como lixo e o Presidente da A3ES recente demoliu)
https://sigarra.up.pt/up/pt/web_base.gera_pagina?p_pagina=uporto-nos-rankings-internacionais não tenha aproveitado para mediatizar a sua classificação primeira num recente ranking de cientistas de que se deu conta aqui https://forum.bolseiros.org/viewtopic.php?f=8&t=9587 quando lá fora universidades com melhor desempenho, no conhecido ranking Shanghai (o único que nos seus critérios contabiliza o número de prémios Nobel) do que a Universidade do Porto, como por exemplo a Trinity College Dublin, não se fizeram rogadas em logo reclamarem crédito do mesmo e logo com um título nada modesto “Trinity scientists among world´s elitehttps://www.tcd.ie/news_events/articles/trinity-scientists-among-worlds-elite/

P.S - Registo com satisfação que a Universidade de Lisboa já mandou apagar da sua página oficial qualquer referência aos referidos rankings da treta, pois de facto era incompreensível que a mesma andasse a fazer publicidade gratuita ao lixo !

The unlikely country that is producing high ethical scientists

Who could ever imagine that it's precisely in Turkey that scientists are saving science from political attacks!

"...was sentenced yesterday to 15 months in jail after publishing the results of a study he and other scientists had done that linked toxic pollution to a high incidence of cancer in western Turkey...Şık could have avoided jail and received a suspended sentence by expressing regret. But he declined to do so when asked by the judge....Şık, lost his university position in 2016 after signing a petition calling for peace" 

https://www.sciencemag.org/news/2019/09/turkish-scientist-gets-15-month-sentence-publishing-environmental-study

A tipologia negacionista: Os gananciosos e os egoístas



Ainda sobre a recente diatribe da “historiadora, investigadora e Professora universitária” da Universidade Nova de Lisboa comentada aqui https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/09/a-historiadora-da-unova-e-o-aquecimento.html  recebi uma anónima mensagem de alguém (muito corajoso) que me aconselhou a dar mais valor às opiniões da Raquel Varela, embora eu tenha ficado na dúvida se ele estaria a referir-se a estas inqualificáveis aqui 

A mensagem anónima continha também uma revelação, que reputo de importância superior aos famosos segredos de Fátima, disse o corajoso anónimo que eu ignoro que as alterações climáticas são provocadas pelas alterações na órbita da terra, que levam o nome de ciclos Milankovitch ! Mas que é afinal e apenas uma forma rebuscada dos negacionistas tentarem parecer muito inteligentes com explicações não triviais mas que tem muito pouca adesão à realidade, no caso em apreço porque se tratam de ciclos de dezenas milhares de anos incapazes de explicar variações do clima que ocorreram num período de tempo muito curto de apenas um século. 

Seja como for há que reconhecer que o facto de Portugal estar no grupo dos países da OCDE com maiores taxas de adultos sem o ensino secundário, permite perceber porque é que tem sido tão fácil aos desinformadores propagaram mentiras supostamente científicas e porque é que tantos deles são seguidos por milhares de “amigos do Facebook” como se de seitas se tratassem em que a análise crítica da verborreia do “grande líder” é substituída por acéfalos likes e ou emojis.   

Ainda sobre o negacionismo da famosa historiadora, a tal que tem o condão de inspirar mensagens anónimas, acho que é pertinente revisitar o seu histórico, que o texto no link abaixo dá um bom retrato https://www.esquerda.net/opiniao/ainda-raquel-varela-e-o-aquecimento-global/47249 no referido texto percebe-se que há vários anos que a “historiadora, investigadora e Professora universitária” da Universidade Nova de Lisboa, anda a propagandear a mesma cassete, de que as alterações climáticas são uma conspiração mundial da indústria verde e principalmente a falsidade de que não há consenso entre a comunidade científica, o que curiosamente é um indicador muito importante para detectar um negacionista: “Believing there is no scientific consensus is one of the most important factors in predicting scientifically deviant beliefs” https://doi.org/10.1177%2F0731121417710459

Duas falácias que porém não fazem esquecer o óbvio, que basicamente os negacionistas subdividem-se em dois grupos, o grupo dos gananciosos, pagos de forma muito generosa pelo "status quo" (e não é pelo amor à ciência) como por exemplo estes aqui 

e o grupo daqueles que se movem por puro egoísmo, os mesmos que entram em pânico com a possibilidade de terem que reduzir o seu nível de conforto, como o número de viagens de avião ou consumo de carne. Vide post de título   "A chouriça da Raquel Varela"  http://forum.bolseiros.org/viewtopic.php?f=8&t=9580

P.S – Sobre o facto de ter recebido a tal mensagem anónima torna-se pertinente fazer um esclarecimento. Este blog, ao contrário de outros, não publica comentários anónimos porquanto se entende que um requisito básico de qualquer discussão é dar a cara por aquilo que se defende. Isto permite perceber se os comentários são feitos numa lógica de defesa do bem comum ou se se limitam a defender interesses economicamente motivados/financiados ou puramente egoístas. 

 

sexta-feira, 27 de setembro de 2019

"Scientists for Future Portugal"

https://scientists4future.pt/

https://scientists4future.pt/assinantes

As universidades têm a responsabilidade de preparar os alunos para um futuro incerto



Felizmente que lá fora (vide extracto acima de uma noticia publicada hoje na Times Higher Education) preferem não perder tempo a ouvir pseudo-argumentos, como os da historiadora Raquel Varela, os quais só contribuem para desacreditar a academia e a ciência aos olhos do público https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/09/a-historiadora-da-unova-e-o-aquecimento.html 

Felizmente também, que entre os muitos milhares de “amigos do Facebook” da referida historiadora, que rotineira e acriticamente engolem a sua nada científica "propaganda", há alguns raros, que não se prestam a esse exercício, como por exemplo um de nome Sérgio Caldeira, que ontem lhe deixou um comentário exemplar, do qual só reproduzo a parte final:
“...Seria sido bom que a Raquel tivesse lido isto antes de escrever um texto globalmente deplorável, enviesado, e que leva os mais despreparados a acreditar na senhora. Num mundo a acordar para o pesadelo em que já entrámos esta forma de apresentar o raciocínio é apelativa. Ataca pessoas em vez de factos e diz-lhes o que elas querem ouvir. Mistura falta de dados científicos sobre alterações climáticas com argumentos válidos sobre questões sociais...Diz a Raquel Varela que não é animalista? Bravo! Mas também não é ambientalista. Não? Então é o quê? Talvez negacionista. Acontece muito a quem não suporta realidades aflitivas. Entrar em negação. Lamento pela Raquel Varela e por todos os que leram este texto dela. Absolutamente deplorável, negacionista, enviesado e carente de suporte factual.”

Aqueles que acham que as touradas são mais importantes para Portugal do que a investigação !


A juntar ao tal nível horroroso de burocracia na investigação de que falou a catedrática Elvira Fortunato, o qual inevitavelmente parte do principio que os investigadores são potenciais burlões https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/09/nivel-de-burocracia-na-investigacao-e.html
mas já antes dela tinha falado o Carlos Fiolhais quando em 2017 disse que a plataforma de submissão de candidaturas de projectos era um infernotemos também na investigação, realizada sem fins lucrativos, uma bizarra taxa de IVA de 23% que não se percebe de todo. 

É verdade que no Programa do PS, para a próxima legislatura se pode ler na pág. 127 uma interessante promessa que diz respeito à "Restituição do IVA pago pelos centros de investigação científica sem fins lucrativos com a aquisição de bens ou serviços no âmbito da sua atividade de I&D" medida essa que nada têm de original pois já existe há muitos tempo em países onde se dá valor à investigação. Mas isso significa que até lá os centros de investigação vão continuar a pagar 23% de IVA e isto quando as touradas pagam uma taxa reduzida de 6%. Mas será que nesta legislatura não houve tempo para aprovar esta medida ou será que há quem pense que as touradas são mais importantes para Portugal do que a investigação !


Fake rankings e a nova versão da Bíblia

Relativamente ao tal fake ranking sobre o qual escreveu recentemente o Presidente da A3ES
é bizarro constatar que a Agência ECCLESIA, que é propriedade do Secretariado Nacional das Comunicações Sociais, órgão da Conferência Episcopal Portuguesa e cujo estatuto editorial informa que a mesma desenvolve “jornalismo rigoroso...especializado em temáticas sociais, culturais e religiosas” não se tenha coibido de fazer publicidade ao tal ranking da treta
https://agencia.ecclesia.pt/portal/ensino-superior-catolica-considerada-melhor-universidade-em-portugal-pela-times-higher-education/ porque reza o livro sagrado da religião Católica que “quem se elevar será rebaixado...os últimos serão os primeiros e os primeiros serão os últimos”.

A surpresa termina porém quando percebemos que esta Agência evidencia grande felicidade até mesmo sobre o desempenho da “Business School” da Universidade Católica naquele ranking (de baixíssima qualidade) do Financial Times

Pelos vistos na igreja Portuguesa devem andar a ler uma nova versão da bíblia, onde ter muito sucesso no “business” é garantia de entrada no Paraíso, versão essa onde as passagens que abaixo se reproduzem já não devem constar:
“É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que um rico entrar no Reino dos céus”
“Quando deres um banquete ou um jantar, não convides os teus amigos, irmãos, ou parentes, nem teus vizinhos ricos; se assim procederes, eles poderão, da mesma maneira, convidar-te, e desta forma sempre serás recompensado. Pelo contrário, ao dares uma grande ceia, convida os pobres, os deficientes físicos, os mutilados e os que não podem ver”



quinta-feira, 26 de setembro de 2019

Blog Pacheco-Torgal___impacto internacional

É interessante constatar que ao fim de apenas uma semana de actividade as visualizações de "leitores" em países estrangeiros representam mais de 30% do total de visitas, sendo os três países mais "visualizadores", os EUA, o Reino Unido e a Alemanha e seguindo-se-lhes a França, a Holanda, a Áustria e a Finlândia !

A historiadora da UNova e o aquecimento provocado pelas alterações do eixo da Terra



A historiadora Raquel Varela não consegue resistir a dar palpites sobre o clima. O último post da mesma, hoje ao inicio da manhã, revela que afinal o aquecimento do Planeta é muito provavelmente causado “pelas alterações do eixo da terra e pela actividade solar”. pois segundo ela também há quem defenda tal hipótese pelo que a mesma não pode ser descartada. Aconselha assim que é preciso debater bastante, pois diz que ainda não viu debates suficientes sobre essa hipótese. 

Deve ser uma nova forma de fazer ciência através de debates e no fim o público decide qual a hipótese que ganhou o debate ! 

Pelos vistos as áreas das Humanidades e das Ciências Sociais, a sofrerem de uma grave crise https://www.taylorfrancis.com/books/e/9781315276601/chapters/10.4324/9781315276601-5 resolveram conquistar novos públicos virando-se para outras áreas científicas mais mediáticas, como o clima.

Percebe-se agora muito melhor porque é que na Universidade do Porto, uma desconhecida Professora Catedrática da Faculdade de Letras, serviu de “barriga de aluguer” a uma conferência de negacionistas. https://www.publico.pt/2018/09/06/ciencia/noticia/cientistas-escrevem-carta-aberta-sobre-conferencia-de-negacionistas-no-porto-1843220  A indústria petrolífera e os amigos do Sr. Trump agradecem. Já só falta que a referida historiadora diga que isso de haver milhões de toneladas de plástico no mar também é um embuste, para assim poder dar uma alegria às indústrias do plástico. Ou que a redução asustadora de aves na Europa https://www.theguardian.com/environment/2018/mar/21/europe-faces-biodiversity-oblivion-after-collapse-in-french-bird-populations é fake science, pois não podemos deixar de admitir a hipótese das mesmas poderem ter emigrado quase todas para a Amazónia (hipótese que só pode ser descartada com debates e a respectiva decisão do público), o que obviamente não deixará de alegrar a indústria dos pesticidas.  

Caricato no post da Raquel Varela é que na parte final escreva que a culpa das emissões de carbono é do consumo de “cimento/betão armado” na China. Escreveu ela que “a China construiu tanto cimento em 20 anos como os EUA desde sempre”, parecendo-me a mim ser um estranho argumento dizer que a culpa é dos Chineses que fazem muitas casas e muitos prédios quando deveriam talvez viver em palhotas. Esquecendo assim que se esse país se urbanizou muito mais tarde do que outros (o que não é pecado, nem crime, nem muito menos censurável mas antes louvável) e se esse país tem muito mais habitantes do que os EUA e a Europa juntos, então é evidente que consumirá uma quantidade muito superior de materiais de construção. E esquecendo também que esse aspecto particular vale pouco quando comparado com aquilo que realmente interessa, que é o consumo per capita associado a todas as actividades industriais (e não industriais) e não somente ao consumo de cimento, e onde se fica a perceber que cada Chinês é responsável por uma quantidade de emissões de dióxido de carbono muito menor do que as emissões de cada Europeu ou de cada Norte-Americano.  https://www.economist.com/graphic-detail/2019/05/25/china-is-surprisingly-carbon-efficient-but-still-the-worlds-biggest-emitter

Ou esquecendo que o metano que é muito mais nocivo do que o dióxido de carbono e relativamente ao qual cada Chinês é responsável por uma quantidade de emissões muito menor do que as emissões de cada Europeu ou de cada Norte-Americano. 

Ou esquecendo que o carbono negro (fuligem) que também é muito mais nocivo do que o dióxido de carbono e relativamente ao qual cada Chinês é responsável por uma quantidade de emissões muito menor do que as emissões de cada Europeu ou de cada Norte-Americano. 

Isto já para nem falar de outros gases igualmente responsáveis pelo efeito de estufa, como os clorofluorcarbonos ou os halocarbonos muito mais nocivos do que o dióxido de carbono e relativamente aos quais novamente cada Chinês é responsável por uma quantidade de emissões muito menor do que as emissões de cada Europeu ou de cada Norte-Americano.


Despejar lixo radioactivo no mar


Ainda na sequência da decisão do Japão de despejar um milhão de toneladas de água radioactiva no mar https://forum.bolseiros.org/viewtopic.php?f=8&t=9596&p=43552#p43552
importa não esquecer que bem mais perto de nós também o Reino Unido têm ideias do mesmo calibre https://theferret.scot/nuclear-submarines-dump-scotland/ 
E isto é apenas aquilo que se sabe pois como é evidente por exemplo um país como a Rússia, rico em lixos radioactivos, deverá fazer o mesmo mas com muito menos mediatização porque naquele país os jornalistas tem uma baixa esperança de vida https://www.occrp.org/en/27-ccwatch/cc-watch-briefs/10159-russia-persecution-of-journalists-continues

Incapacidade de antecipar o futuro ou vontade de desperdiçar dinheiros públicos ?


Pode um país de cuja pobreza o próprio Presidente da República se envergonha https://www.dn.pt/portugal/interior/marcelo-expressa-vergonha-pela-pobreza-e-pede-estrategia-nacional-com-urgencia-9205243.html dar-se ao luxo de gastar dezenas de milhões de euros em incompreensíveis e efémeras operações de alimentação de praias ? https://forum.bolseiros.org/viewtopic.php?f=8&t=9521&p=43453#p43453 

Não seria normal esperar que quando se gastam dezenas de milhões de euros em “obras públicas” estas tivessem uma duração de dezenas de anos e não apenas alguns poucos ?  Haverá algum diferença entre isto e o que fizeram aqueles gestores de empresas públicas que contrataram swaps que se traduziram em perdas de mais de mil milhões de euros ?

quarta-feira, 25 de setembro de 2019

IPCC reports Oceans are rising faster…the problem is that this is an exceedingly optimistic position



Most, unfortunately, the recent article in the link above does not say a single word about what Ian Dunlop and David Spratt have found:  “IPCC reports tend toward reticence and caution, erring on the side of “least drama”, and downplaying the more extreme and more damaging outcomes.”
Spratt, D. and Dunlop, I., 2018. What lies beneath: the understatement of existential climate risk. Published by Breakthrough, National Centre for Climate Restoration, Melbourne, Australia.

Its obvious that IPCC are facing pressure from Governments to avoid releasing projections that may induce panic because panic is bad for business but since the duty of academia is not to political agendas but only to the truth https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/09/the-responsibility-of-intellectuals-to.html its understandable why just one month ago a Professor of Physics at the University of Oxford authored a paper where one can read the following:
 “Let’s get this on the table right away, without mincing words. With regard to the climate crisis, yes, it’s time to panic”
Pierrehumbert, R., 2019. There is no Plan B for dealing with the climate crisis. Bulletin of the Atomic Scientists, pp.1-7.

O dinheiro não cheira mal ?


Vai grande polémica numa das principais universidades Norte-Americanas da Ivy League, o MIT, por conta dos donativos recebidos do pedófilo J.Epstein, colocando-se a questão de se saber de quem é que podem as universidades afinal aceitar donativos https://www.technologyreview.com/s/614332/mits-ties-to-jeffrey-epstein-demand-a-new-reckoning-over-research-funding/

Em 2015 fui autor de um pequeno texto que mencionava o princípio do “fruto da árvore proibida” que me parece ser um bom principio para tentar resolver o imbróglio. Assim as universidades devem rejeitar donativos contaminados, isto é dinheiro de criminosos como o Sr. Epstein, de ditadores ou obtido através da prática de crimes. É claro que se uma empresa tem uma actuação ambientalmente criminosa então as universidades também não deveriam em princípio aceitar donativos destas porém muitas delas, principalmente universidades privadas, entre sobreviverem ou viverem de acordo com elevados princípios preferem de longe a primeira. 


The Responsibility of Intellectuals to speak the truth to power and to expose lies


https://www.jstor.org/stable/j.ctv9b2xdv
  
See in the link above a recent open access book published by the University College London Press about the 1967 Noam Chomsky’s notorious essay. This book is especially important in the recent context of the Editorial published on Nature entitled “Scientists must rise above politics — and restate their value to societyhttps://www.nature.com/articles/d41586-019-02379-w

Be there as it may let´s not forget that it was the former US President Thomas Jefferson, who claimed that a primary purpose of the academy was to exercise an independent critique of church and state, in order to unmask their usurpation, and monopolies of honors, wealth and power a citation that i took from the Doctoral dissertation of J.K.Brownlee: 

Brownlee, J. K. (2014) Irreconcilable differences: The corporatization of Canadian universities (Doctoral dissertation, Carleton University.

Consequências da vergonhosa reforma penal do "Governo" do Sr. Sócrates


Sobre o tal individuo que há pouco tempo matou e violou uma freira e que já antes disso tinha violado outras duas mulheres (crimes por conta dos quais apanhou penas simbólicas) sendo que relativamente a uma delas, de nacionalidade estrangeira, se valeu de apertar o pescoço a um bebê para que a mãe do mesmo não dificultasse a violação, convém recordar as palavras do Presidente da Associação Sindical dos Juízes que em 2018 denunciou a reforma penal levada a cabo durante o Governo de José Sócrates que aligeirou as penas a indivíduos deste calibre e a muitos outros do mesmo clube:
“Só para se ter uma noção dos crimes graves que passaram a admitir pena suspensa, eis alguns exemplos: tentativa de homicídio, violência doméstica com morte da vítima, violação, tráfico de pessoas, escravidão, rapto com tortura, abuso sexual de criança com cópula, lenocínio com menores até 14 anos de idade, roubo violento com arma, tortura com electrochoques...”https://www.publico.pt/2019/03/13/sociedade/opiniao/onde-estao-nao-escondam-1865156

Relembre-se que por conta desta aberrante reforma penal só no ano de 2017 mais de 200 condenados por abuso sexual de crianças apanharam pena suspensa !  https://www.publico.pt/2019/03/25/sociedade/noticia/apenas-terco-abusadores-criancas-vai-parar-cadeia-condenados-1866647 e isto no mesmo país onde uma bolseira que cumpre 3 anos de pena efectiva de cadeia por injúrias e difamação, crimes terrivelmente perversos e capazes de abalar as fundações do Estado. 

Talvez vá por isso já vá sendo tempo de se mandar a vergonhosa reforma penal do Governo do Sr. Sócrates para o caixote do lixo e de se agravar as penas principalmente para criminosos sexuais com a mesma moldura dos nossos vizinhos (compare-se a pena suspensa que receberam os dois Portugueses que abusaram de uma mulher embriagada na casa de banho de uma discoteca do Norte do país com os 22 anos e dez meses que o Ministério Público Espanhol pediu para cada um dos envolvidos no famoso caso La Manada) e inclusive de se copiar o modelo de prisão permanente renovável que utilizam ali ao lado na vizinha Espanha https://www.elmundo.es/espana/2015/01/21/54bfba1222601d0f618b457b.html pois que a filosofia penal Portuguesa que sonha com maravilhosas cadeias ressocializadoras já mostrou que é apenas uma utopia absolutamente ineficaz sendo que é tão ou mais importante que a República se comece a preocupar muito mais com as vitimas, dessa forma olhando para a estadia prisional como uma forma de dar paz as essas mesmas vitimas e assim contribuindo para que elas voltem a confiar no Estado que não foi capaz de as proteger.

terça-feira, 24 de setembro de 2019

Paulo Portas, o cientista, faz importante comunicação ao país


O famoso Paulo Portas, aquele do Jaguar e daquela universidade que dava Jaguares a granel https://www.publico.pt/2002/06/04/sociedade/noticia/direccao-da-moderna-deu-jaguar-a-exgestor-pelo-seu-bom-trabalho-148897  o mesmo Paulo Portas que garantiu que nada havia no passado do Sr. Bolsonaro que fosse "éticamente reprovável" (nem sequer mesmo o desejo de mandar matar 30.000 pessoas, começando pelo antigo Presidente FHC), acaba de informar publicamente o Reitor da Universidade de Coimbra via TVI, https://www.facebook.com/tvi24/videos/525679098267515/?t=1 que os cientistas do CDS há muito que sabem que as vacas são sumidouros de carbono e que a táctica do CDS para combater as alterações climáticas passa pela construção de fábricas de inseminação artificial, uma por cada concelho deste país, capazes de produzirem em tempo recorde aproximadamente 100 milhões de vacas, para que Portugal possa assim muito mais facilmente atingir a neutralidade carbónica em 2050 por um custo muitíssimo inferior ao daquele astronómico que aparece no RNC2050 https://descarbonizar2050.pt/

Acabar com o IRS


“John Cochrane, professor na Universidade de Chicago, fez uma sugestão que poderá responder a esta crítica. Imaginem que, em vez de se taxar o rendimento, apenas se cobram impostos sobre o consumo a uma taxa única de, por exemplo, 50%. Em contrapartida, para os primeiros 10.000€ gastos, o governo reembolsa todos os impostos pagos pelo contribuinte, pelo que, na verdade, a taxa de imposto efectiva é zero. Nos 20.000€ seguintes, o governo devolve quatro quintos dos impostos pagos, pelo que, na realidade, a taxa de imposto é de 10%. De seguida, devolve três quintos do imposto pago (a que corresponde uma taxa de 20%) e assim sucessivamente. Naturalmente para despesas acima de um determinado nível, por exemplo 100.000€, já não há lugar a qualquer devolução de imposto, pelo que a taxa efectivamente paga seria de 50%” https://observador.pt/opiniao/e-se-pagar-50-de-iva-fosse-uma-boa-ideia/


O artigo do Luís Aguiar-Conraria, acima, que analisou a eliminação do imposto sobre o rendimento do trabalho (IRS), substituindo-o por impostos sobre o consumo progressivos
ganha especial importância a partir do momento que Portugal começou a receber multimilionários que pagam apenas 20% de IRS, que é uma percentagem menor do que paga por exemplo um enfermeiro ou um professor do secundário, e o pior é que quando esses multimilionários se reformarem irão pagar zero, como por exemplo este brasileiro https://eco.sapo.pt/2019/05/21/portugal-e-a-nova-miami-para-brasileiros-ricos-diz-a-bloomberg/ ou seja só através de impostos sobre o consumo poderão contribuir de forma substancial para o Orçamento de Estado.

Esta situação é agravada pelo facto do Governo do PSD/CDS do Dr. Durão Barroso, ter eliminado em 2003 o imposto sobre sucessões e doações https://causa-nossa.blogspot.com/2005/05/repor-justia-fiscal.html e estranho é que o actual Governo da Gerinçonca não tenha tido coragem para o repor pois que como escreve o catedrático jubilado Vital Moreira:
“o imposto sobre sucessões e doações de valor elevado é o imposto mais justo que existe... por se tratar de riqueza não criada pelos beneficiários” 

sendo na minha opinião particularmente bizarro que o mesmo exista em países ricos como o Reino Unido https://www.gov.uk/inheritance-tax ou a Alemanha país onde se aplica uma percentagem de 50% para patrimónios acima de 13 milhões de euros para os beneficiários no terceiro escalão https://germaninheritance.com/2018/04/03/estate-taxes-and-inheritance-taxes-under-german-law/ e inexista por estas bandas, ao mesmo tempo que os rendimentos do trabalho são tratados como luxos que importa taxar fortemente, excepto claro se forem de multimilionários estrangeiros.


O historiador e o professor/comentador das “crónicas de sarjeta”


Resposta do primeiro ao segundo no link acima publicada no Expresso este fim de semana. Recordo que há 5 anos atrás já um conhecido magistrado aposentado tinha comentado em moldes muito mais ácidos uma certa "crónica de sarjeta" do mesmo professor/comentador avençado do grupo do Dr. Balsemão
trata-se do mesmo professor/comentador que tendo a sua primeira publicação indexada em 2002, nos últimos 17 anos produziu mais 5 (cinco), o que em média mostra que ele precisa de aproximadamente três anos para produzir uma única publicação indexada. Deve por certo gastar muito tempo no comentariado e não lhe sobra assim para a investigação e publicação que de acordo com o ECDU é o primeiro dever da carreira académica antes mesmo da actividade lectiva. E isto ao mesmo tempo que há muitos doutorados na área dele e com uma produção científica muito superior mas que estão desempregados. 

2019 paper by German researchers: "income inequality results in more domestic terrorism"



Paper in the link above by German authors who studied the effect of income inequality on terrorism for a sample of 113 countries

In this context it's worth remembering that in 2014 Eric Schmidt & Jared Cohen (when they were respectively the Chairman of Google and the Director of Google Ideas) wrote a book entitled “The New Digital Age: Transforming Nations, Businesses, and Our Lives”. 

On it they recall the fact that the world has hundreds of millions of young people living in miserable conditions that can easily be radicalized to engage in terrorist actions. They also quote the words of General Stanley McChrystal to the German magazine Der Spiegel when he said that what will defeat terrorism is not military actions but basically two things: 
the Rule of Law and basic living conditions like education and jobs.

PS - Also on this issue see the statement of a German deputy who wrote: 
"wealth inequalities are as immoral as they are grotesque". in the report "Sustainable Equality-2019-2024". https://www.progressivesociety.eu/publication/report-independent-commission-sustainable-equality-2019-2024