sexta-feira, 30 de abril de 2021

9 euros, é quanto custa o livro sobre os limites da ciência de um corajoso Catedrático do Instituto Superior Técnico



O catedrático jubilado Jorge Calado, foto acima, (cujas declarações públicas nada diplomáticas e até mesmo subversivas, ao semanário Sol em 2016, que também foram reproduzidas no post acima, sobre o critério de contratação de Professores nas universidades públicas, de não irem fazer sombra aos que já lá estão, que nenhum responsável Governativo ou da Universidade de Lisboa, seja o seu Reitor ou o Presidente do IST, na altura se atreveram a desmentir, dessa forma consentindo tal vergonhosa tese), já tem à venda este mês de Abril, a segunda edição do seu livro "Limites da Ciência". 

Um vídeo com uma hora de duração, sobre a apresentação da primeira edição deste livro, está acessível na plataforma Youtube e no inicio dessa apresentação o Carlos Fiolhais fala de "um livro extraordinário de um homem extraordinário" . Uma coisa é certa,  extraordinário ou não, a verdade é que são muito raros os catedráticos que tem a grande coragem de admitir publicamente, que existe muito pouco mérito nos concursos para contratação de professores universitários, assim confirmando as palavras de um outro corajoso catedrático da mesma universidade de Lisboa, Orlando M. Lourenço, que alguns anos antes escreveu que "é a obediência, quando não a mediocridade, que são recompensadas" na progressão na carreira académica". 

National Geographic e o pânico climático ajudam o Governo Português

 

Depois da ajuda dos investigadores Alemães que foi mencionada no post acima sobre os ciclones que vão atingir a Europa, eis que o último número da revista National Geographic vem também em auxilio do Governo Português e do seu programa para levar mais pessoas do Litoral a mudarem-se para o Interior de Portugal, contando para isso com um extenso artigo sobre a poluição atmosférica, que na época pré-Covid já matava que se fartava (mais de 7 milhões de pessoas por ano a nível mundial) e continua a matar agora também por conta do facto dos habitantes das zonas com poluição atmosférica serem mais vulneráveis ao ataque do Covid-19.  E o artigo supracitado nem sequer analisa custos económicos, como aqueles custos que há pouco tempo foram mencionados aqui onde se fica a saber que desgraçadamente Lisboa até consegue apresentar custos superiores aos da capital Espanhola por conta da capital Portuguesa ser campeã ibérica no que respeita a congestionamentos.

Curiosamente ontem o jornal Público deu conta que um inquérito conduzido em 12 países europeus revela que os Portugueses aparecem em quarto lugar entre os países que querem metas climáticas mais exigentes. Infelizmente no artigo é dito que isso se deve menos à boa consciência ambiental dos Portugueses mas mais ao facto dos mesmos parecerem ignorar que metas climáticas mais exigentes implicam custos (como aquels relativos às renováveis responsáveis pelo aumento da factura da electricidade) que alguém terá de pagar. https://www.publico.pt/2021/04/29/sociedade/noticia/dois-tercos-portugueses-querem-metas-climaticas-exigentes-1960411

PS - Na semana passada foi publicado um interessante artigo numa revista científica com um título sugestivo "Preparing for Collapse", na introdução do mesmo não só se fala de algo já referido neste blog em 2019, a premonitória fuga dos super-ricos para zonas de menor risco, mas também de uma tendência de aquisição de imobiliário por parte da geração Milénio, em zonas que não sejam tão afectadas pelas consequências das alterações climáticas, por conta do mesmo pânico climático que já tinha traumatizado os super-ricos e que muito em breve sem duvida também irá afectar muitos Portugueses, pelo menos aqueles que vivem nas zonas junto ao Litoral e que mais irão sofrer as consequências do tal aumento da frequência dos ciclones, mencionado no tal artigos dos investigadores Alemães. 


quinta-feira, 29 de abril de 2021

Bom demais para ser verdade ?

 


Depois do que recentemente escrevi no post acima e do enorme peso que o mentecapto jogo do pontapé e da cabeçada na bola ainda tem em Portugal, devo confessar a minha grande surpresa por ver alguém (que ainda por cima é adepto do FCP, mas que pelos vistos ao contrário de muitos, não se ajoelha todos os dias para rezar ao Santo Pinto da Costa), que teve a coragem de escrever publicamente o texto abaixo:

"As imagens são claras: o empresário agrediu mesmo o jornalista da TVI. Foi o autor material do crime. Mas o autor moral, mesmo não tendo dado nenhuma ordem, é Pinto da Costa. Não podemos ter medo de o dizer. Foi o presidente do FC Porto que se dirigiu em tom provocador aos jornalistas da TVI. Agiu como agem todos os que se acham intocáveis, com altivez e gozo, e sem sujar as mãos. Pinto da Costa nunca suja as mãos, mas há sempre alguém do seu círculo mais próximo que não se importa de sujar as mãos por ele. Há um código similar ao da máfia neste tipo de comportamento" 

Mas o que era mesmo excelente, era que a justiça Portuguesa condenasse a uma pena de prisão efectiva o honrado Presidente do Benfica, que é arguido num caso de corrupção de juízes https://pacheco-torgal.blogspot.com/2020/09/vieira-e-homem-honradouomini-donore-era.html


Professora de Oxford critica o custo da avaliação das unidades de investigação com recurso a revisores



Na parte final do post acima mencionei as declarações de um ex-responsável pela investigação universitária na Inglaterra que apoia um aumento da utilização de métricas para reduzir o custo astronómico da avaliação por pares. E a ele juntou-se ontem uma professora da Universidade de Oxford  https://www.timeshighereducation.com/opinion/benefit-ref-really-worth-cost

E de facto é caso para perguntar o que vale realmente a dispendiosa avaliação por pares (responsável pelo desemprego e emigração de muitos jovens investigadores) com as suas dispendiosas visitas às unidades, mesmo às unidades que nada produziram de relevante, se por exemplo numa certa área cientifica em Portugal, com 6 unidades, 5 delas apresentaram reclamação da classificação inicial e todas elas viram a sua classificação alterada para melhor. Duas unidades subiram de Fraco para Bom, uma subiu de Fraco para Muito Bom, outra subiu de Bom para Muito Bom e a quinta subiu de Muito Bom para Excelente ? 

Será que a culpa desta aberrante disparidade se ficou à ausência total de métricas, proibidas pelo regulamento, que resultou num concurso de beleza (palavras do catedrático jubilado Ferreira Gomesonde as grandes unidades de investigação foram artificialmente favorecidas e por arrasto favorecida foi também a universidade que possui o maior número de grandes unidades ?


quarta-feira, 28 de abril de 2021

Não gastar no que é imprescindível e desperdiçar naquilo que não faz falta

 

https://pacheco-torgal.blogspot.com/2020/12/pode-um-pais-do-primeiro-mundo-deixar.html

Ainda na sequência do post acima é pertinente referir que a edição da revista The Economist da semana passada volta novamente ao tema das canalizações de abastecimento de água feitas de chumbo: 
"All 50 states have lead pipes. As many as 10 million homes rely on them for their connection to the main water-supply lines.
https://www.economist.com/united-states/2021/04/17/replacing-lead-pipes-a-newark-success-story
É por isso profundamente irónico que logo no país com maior despesas militares que excedem a soma das despesas de vários países como a China, Rússia, Alemanha, Reino Unido e França e ainda com dispensiosos projectos para fazer novas armas haja quem  alegue que não há dinheiro suficiente para substituir as referidas canalizações em chumbo.  

Já em Portugal, em 2001, o jornal Público noticiava que Lisboa era a zona do país que tinha um maior número de concelhos ainda com canalizações em chumbo, https://www.publico.pt/2001/11/09/sociedade/noticia/em-33-concelhos-portugueses-bebese-agua-com-chumbo-48993 mas ao contrários dos EUA em Portugal a razão para isso é mesmo a falta de dinheiro, muito embora os 1500 milhões de euros necessários para revolver o problema sejam um pequeno valor quando comparado com os milhares de milhões que se perdem para a corrupção ou quando comparados com os 20.000 milhões de euros que desapareceram por conta da cartelização de preços mencionados no post  https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/01/os-advogados-que-garantem-impunidade-da.html

terça-feira, 27 de abril de 2021

Heinrich-Heine-Universität Düsseldorf__"Do researchers know what the h-index is?"



Still following the post above check the paper published yesterday on the journal Scientometrics authored by three researchers affiliated with the Heinrich-Heine-Universität Düsseldorf about a survey on the h-index which covered 1081 German Professors. 

PS - Still, It's a pity that they have not cited the composite indicator suggested by Ioannidis et al. which considers the h-index and other five citations metrics (total citations; Hirsch h-index; coauthorship-adjusted Schreiber hm-index; number of citations to papers as single author; number of citations to papers as single or first author; and number of citations to papers as single, first, or last author.


segunda-feira, 26 de abril de 2021

Académicos (e não só) em negação

 


Ainda na sequência do post acima onde se ficou a saber que na Universidade do Minho os Colegas da Escola de Ciências são aqueles com maior vontade de se aposentarem muito ao contrário do que sucede na Escola de Direito (!) vale a pena ler o recente artigo publicado na revista The Economist sobre a incapacidade de muitos, principalmente em cargos com algum poder ou influência, em lidar e preparar antecipadamente uma etapa tão inevitável:
"For such people (those who have reached the top of tree) retiring may be a lot like the five stages of grief: denial, anger, bargaining, depression and acceptance. Denial is particularly significant..."  https://www.economist.com/business/2021/04/17/life-after-the-c-suite

Já eu pela minha parte aguardo sem qualquer negação por essa próxima etapa https://pacheco-torgal.blogspot.com/2020/12/2029-o-ano-da-minha-aposentacao.html

PS - Quem também parece estar em profunda negação é a mãe do Primeiro Ministro, Maria Antónia Palha, que há alguns dias escreveu que está muito triste com aquilo que a justiça anda a fazer ao Ex-Primeiro-Ministro Sócrates e pede uma justiça com compaixão para o referido desgraçadinho multimilionário. Infelizmente porém nunca ninguém ouviu uma palavra à mesma sobre os muitos casos de muitos Portugueses e Portuguesas, muito mais merecedores de compaixão da justiça, como aquela investigadora que cumpriu três anos de cadeia por injurias e difamação a vários magistrados a quem acusou de corruptos. Ou sobre o incrivel caso de uma Portuguesa que há mais de 20 anos espera uma indemnização pela morte do marido e a quem o Estado Português ainda teve a suprema desfaçatez de a penhorar a ela e aos seus filhos para pagar as custas judiciais  https://www.sabado.pt/portugal/detalhe/mulher-espera-indemnizacao-por-morte-do-marido-ha-21-anos  e isto ao mesmo tempo que esse mesmo Estado vai pagar as custas judiciais ao conhecido finório Rui Rangel, por conta do facto do desgraçadinho alegar que não possui rendimentoslogo ele o pobrezinho a quem a policia judiciária descobriu maços de notas de 500 euros numa arrecadação da sua casa e por cujas mãos passaram centenas de milhares de euros de verbas de origem ilicita ! Já para nem mencionar o pormaior do Rui Rangel ser casado com uma juiza que foi recentemente aposentada compulsivamente com uma pensão no valor de 6000 euros/mês brutos, quase  4000 euros/mês limpos. 

domingo, 25 de abril de 2021

Demolir um canil OK, demolir a casa ilegal do dono disto tudo isso é que nem pensar



Devo fazer justiça à revista Visão a quem no post acima acusei de não gostarem de incomodar o poder politico. Em boa verdade no seu último numero há pelo menos um artigo com interesse, aquele artigo onde se pode ler que o dono disto tudo construiu ("com a alegada conivência dos poderes locais e regionais") uma moradia de 479 metros quadrados na Comporta, em plena REN, sobre um cordão dunar e a escassos metros do mar, que ninguém até hoje se atreveu a demolir. 

Compare-se isso com a forma expedita (e cobarde) como os socialistas que presidem à Câmara de Loulé querem demolir um canil mandado construir por um estrangeiro que nele gastou mais de 1 milhão de euros  https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/11/pagar-mais-de-1-milhao-de-euros-por-um.html

Infelizmente porém o problema não se resume somente ao dono disto tudo, pois o mesmo artigo na revista Visão dá conta que também um empresário do ramo petrolífero, apesar de ter visto recusada em sede municipal a vontade construir uma moradia na Comporta, a construiu mesmo sem a devida licença, assim cagando com força na tal negativa decisão camarária. Se juntarmos aos referidos casos o famoso caso do cagatório do Comendador Berardo pode concluir-se que em Portugal quem tenha dinheiro suficiente pode construir o que quiser, onde quiser e quando quiser. Viva o 25 de Abril, que permite tais liberalidades ! 

Na França onde não houve 25 de Abril (onde não há Directores Gerais com o currículo deste Dr. Preguiça aqui, mas onde há Primeiros-Ministros que foram condenados a penas de prisão efectiva) a música é porém muito diferente daquela que se toca por estas bandas e há quem tenha construido um palácio que o Supremo Tribunal daquele país quer ver rapidamente demolido https://www.abc.es/gente/abci-mansion-mas-extravagante-costa-azul-sera-demolida-202102022140_noticia.html

PS - E já agora que escabrosos segredos sobre a classe politica é que conhecerá o dono disto tudo, que lhe permitem que possa andar tão tranquilo a usufruir da sua gorda reforma, sabendo que vai morrer descansadamente de velhice, nem que viva até aos 100 anos, sem o risco de visitar uma prisão um único dia que seja, e isso mesmo depois de ter desgraçado a vida a milhares de Portugueses ?


Uma iniciativa maravilhosa

Foi com grande "tristeza" que fiquei a saber que afinal já não se irá concretizar a tal Superliga europeia composta por 12 ricos clubes de futebol que dessa forma iriam ficar muito mais ricos. É pena, porque ao contrário de toda a gente, acho que era uma iniciativa absolutamente maravilhosa, pois sou favorável a tudo aquilo que seja para implodir ou pelo menos reduzir à sua mínima expressão, o tal jogo que o conhecido catedrático jubilado Jorge Miranda classificou de "instrumento de alienação e deseducação", como aliás facilmente se percebe pelos vários posts que neste blog foram escritos acerca do jogo do pontapé e da cabeçada na bola, nomeadamente aqueles cinco abaixo:


Felizmente porém que a telenovela sobre a Superliga revelou pelo menos uma excelente noticia, a de que os jovens não estão interessados no jogo do pontapé e da cabeçada na bola, o que significa que o futuro da Humanidade afigura-se assim muito mais esperançoso, com menos alienados cuja existência se resume basicamente a discutirem se houve ou não penâlti, se a bola tocou na mão ou se entrou ou não na baliza, tudo questões importantíssimas, especialmente num Planeta que caminha rapidamente para um colapso pré-anunciado https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/09/facing-disaster-great-challenges.html

PS - Os comentários acima deverem ser tidos em conta num contexto particular, o de eu achar, que como escrevi em 2019, que um cientista vale muito mais do que um jogador de futebol e depois também em 2020 https://pacheco-torgal.blogspot.com/2020/11/a-desvalorizacao-da-ciencia-e-da.html e de achar como também o escrevi que até mesmo aquilo que faz um trabalhador do lixo vale mais do que aquilo que faz um profissional do jogo do pontapé e da cabeçada na bolapois mérito implica sacrifício, e heroísmo implica abnegado sacrifício da própria vida, como acontece com os bombeiros, sendo por isso muito errados e até profundamente idiotas, aqueles títulos de imprensa que associam heroísmo aquilo que fazem os profissionais do jogo do pontapé e da cabeçada na bola. Ver também a este respeito o conteúdo do email abaixo de 2018:

______________________________________________________________________
De: F. Pacheco Torgal
Enviado: 15 de Fevereiro de 2018 8:05
Assunto: Another relic of the XX century that Academia does not need

Competitive sports are just a die-hard relic of the XX century but the most bizarre thing is that Universities fell into the temptation to please a rising sports market and as a consequence sports performance has even become a science worth university status.

Competitive sports are just something that comes from a past of survival, of competition to the death, of winners and losers, of us versus them. Of race improvement and eugenics. Of males fighting each other in order to be able to mate with many females as possible to pass their "superior" genes. That´s a narrative that we do not need in the 21 century. Even Olympic games make no sense in the 21 century because the heroes (the role models) of this century ought to be those that help Humanity to solve their many and worrying problems, not those that spend thousands of hours training in or order to be the human that runs faster, jumps higher or that throws a heavy object to a longer distance. That´s nothing more than a meaningless and unsustainable waste of resources.

If the work of the intellectuals is to transform the unthinkable into plausible it would be a great achievement if Academia were able to convince society about how highly competitive sports keep us imprisoned to our tribal past thus preventing the advancement of Humanity towards the type 1 civilization that we need and hope to become.


sábado, 24 de abril de 2021

Artigo do dean da Católica-Lisbon é um dos mais citados do mundo__Será mesmo assim?

 

https://eco.sapo.pt/2020/12/29/artigo-cientifico-do-dean-da-catolica-lisbon-e-um-dos-mais-citados-do-google-scholar/

As noticias associando a Universidade Católica a grandes realizações científicas sempre me suscitaram um elevado cepticismo, como quando por exemplo aquela universidade foi considerada a melhor universidade Portuguesa, por alegadamente ter um padrão de citações fabuloso ao nível da Universidade de Cambridge, pelo que quando li a noticia no link acima onde se fala de um artigo de um docente daquela universidade, na área da gestão, que alegadamente é um dos mais citados do mundo tinha que tentar confirmar essa alegação. 

É verdade que 1600 citações no scholar google na área da gestão, é coisa rara até porque há muitos professores Portugueses naquela área científica, inclusive professores Associados e até mesmo catedráticos, cuja totalidade da sua produção científica não conseguiu chegar a 1600 citações, como por exemplo aquele catedrático, que certamente por um grande azar ainda nem sequer conseguiu chegar às 100 citações no google académico https://scholar.google.pt/citations?hl=pt-PT&user=ISHuUPkAAAAJ porém mesmo assim um artigo com 1600 citações está longe de ser um dos mais citados do mundo, naquela na área da gestão, como se constata pelos três artigos abaixo:

- Firm Resources and Sustained Competitive Advantage.......79607 citações
- Dynamic capabilities and strategic management..................40678 citações
- A resource‐based view of the firm.........................................36829 citações

Faria por isso muito mais sentido que na noticia acima aparecesse escrito que aquela era um dos artigos mais citados, da área da gestão em Portugal, até porque há outros artigos com afiliação Portuguesa nessa área que receberam mais citações como por exemplo o artigo "Dynamic Capabilities: A review of past research and an agenda for the future" publicado no Journal of Management que já recebeu 2117 citações no google acdémico. 

PS - Uma coisa é certa porém está noticia é ainda assim bstante mais credivel do que aquela fantasiosa publicada pelo Expresso, segundo a qual uma certa investigadora (estrela) teria um artigo citadíssimo mas que afinal uma rápida pesquisa mostrou que só tinha 154 citações na base Scopus, vide email abaixo de 2017, enviado na altura a alguns Colegas:



De: F.Pacheco Torgal 
Enviado: 8 de Dezembro de 2017 15:14
Para: F. Pacheco Torgal
Assunto: Expresso "O regresso de uma estrela”
 
A revista do Expresso dá hoje destaque, em “notícia” com o título supra, à vinda de uma astrobióloga para o IST. Concordando que é muito positiva, a vinda para Portugal de talentos nacionais (e ou estrangeiros) da área da investigação (ou outra), parece-me no entanto que a forma como é dada esta notícia abusa dos superlativos, os quais deixam aos leitores (menos crédulos) uma estranha sensação que o jornalista muito se preocupou em dourar a pilula, mais até do que seria admissível ou sequer razoável. Quase parece que é o “Stephen Hawking” Português que à pátria retorna.
 
Fala de um artigo “citadíssimo” no qual a referida estrela é primeira autora, mas uma pesquisa pela Scopus revela que o artigo em causa, de título “Extraterrestrial nucleobases in the Murchison meteorite“ publicado na revista Earth and Planetary Science Letters, recebeu 154 citações desde a publicação em 2008 até hoje, o que dificilmente merece tal adjectivo. Não só porque há académicos Portugueses a trabalhar em Portugal-o que significa que não beneficiam do efeito de empolamento citatório de que beneficiam os artigos com afiliação do Imperial College-com artigos que para a mesma janela temporal receberam muito mais citações, sem direito a tal deslumbrada atenção dos media, mas também porque se olharmos para todos os artigos publicados por investigadores com afiliação Portuguesa a partir de 2008, contatamos que o referido número de citações é insuficiente para valer ao mesmo um lugar sequer entre os 900 mais citados !
 
A narrativa jornalística percebe-se porém muito melhor quando no meio se insere caixa de texto sobre as bolsas ERC, a qual esqueceu que a evolução temporal das bolsas ganhas teria que ser bastante maior para que pudesse ser catalogada como um sucesso, face ao passado, e ainda por cima se têm presente que é feita naquele jornal que têm feito vista grossa aos problemas com que se têm defrontado a ciência em Portugal.
 
Quase parece que a alguém interessa tenta fazer passar uma imagem da ciência em Portugal que não têm aderência à realidade dos factos, como se percebe bem pelas declarações da cientista Prémio Pessoa, Maria Mota:  https://www.tsf.pt/sociedade/ciencia-e-tecnologia/interior/cientistas-a-beira-do-desespero-apontam-dedo-a-falta-de-financiamento-5629214.html  ou mais recentemente pelo retrato crú, feito no mês passado, pela insigne Cientista Maria de Sousa, prémio Universidade de Lisboa 2017  https://www.publico.pt/2017/11/13/sociedade/noticia/qualquer-portugues-medianamente-inteligente-tera-vergonha-de-perder-os-seus-melhores-cientistas-1792432
 
Se já é inadmissível o atual nível de subfinanciamento do ensino superior, as últimas noticias que dão conta da estranha intransigência do Ministério das Finanças em pagar aquilo com que se comprometeu, constituem um enxovalho gratuito a todo o ensino superior. Temeridade que pode vir a ter graves consequências para as mesmas finanças, tendo em conta que o OE de 2018 espera que o mesmo ensino superior consiga captar 600 milhões de euros, metade dos quais em projectos europeus.
 
Na China e no Japão existe uma milenar arte de pesca que usa aves para pescar peixes, consta que aquelas porém só o fazem se receberam contrapartida que entendam como justa ! Estranho será por isso que alguém espere que os investigadores Portugueses aceitem tentar pescar pelo menos 600 Moby Dicks e que o façam recebendo como contrapartida prévia público enxovalho.
 
 

sexta-feira, 23 de abril de 2021

Académicos que preferem esconder as misérias debaixo do tapete



Ainda relativamente ao recente post acima e ao facto do artigo de Hirsch sobre o índice-h receber mais de mil citações por ano é interessante comparar esse desempenho com o facto do recente e interessante artigo do catedrático da Universidade de Stanford
só ter recebido 70 citações em 2020. Será que a razão para isso terá que ver com o facto do artigo em causa ter proposto um método que permite saber quem são aqueles pouco éticos professores e investigadores envolvidos em "extremely self citations and citations farms" e a solidariedade académica não apreciar que se exponham publicamente tais misérias ? 

Ainda sobre professores e investigadores que muito gostam de se auto citar recordo que em Portugal o IST lidera e é responsável pelo mau resultado da Universidade de Lisboa https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/03/o-cientista-que-se-auto-citou-numa.html

PS - Atento o valor que o Reino Unido gastou com a avaliação das unidades de investigação, mencionado no final do post que inicia o presente post, se fizermos uma normalização pela população e pelo PIB/capita então isso significa que na última avaliação de unidades de investigações Portugal gastou algumas dezenas de milhões de euros. Se metade das unidades tivessem sido avaliadas com base em métricas (como aconselha um ex-responsável pela investigação e inovação Inglesa) e somente as unidades de investigação com as melhores métricas tivessem sido avaliadas com painéis de revisores isso significaria uma poupança de vários milhões de euros que permitiriam contratar muitos investigadores que não tiveram outro remédio senão sair de Portugal como por exemplo esta aqui e foi por isso que em Agosto de 2020 eu escrevi que a FCT deve um pedido de desculpas aos investigadores desempregados https://pacheco-torgal.blogspot.com/2020/08/a-fundacao-para-ciencia-e-tecnologia.html pois eles não estão desempregados por conta de terem um currículo internacionalmente pouco competitivo mas somente por conta de uma errada opção da FCT. 


A Reitora do faz de conta e a grande alegria na maçonaria

 

A revista Visão que tem por (péssimo) hábito dar palco aos Ministros deste Governo em entrevistas com perguntas delicodoces, a mesma revista que foi expedita a publicar um artigo do seu patrãozinho (cujos  inesperados muitos milhões surpreenderam muita gente) artigo esse onde o referido patrãozinho, nada supreendentemente mostrou grande contentamento pela decisão do juiz Ivo Rosa sobre o processo Marquês, parece porém andar em maré de azar, como se comprova pelo facto da Directora Mafalda Anjos, ter evidenciado ontem na sua última crónica que muito lhe custou engolir que o Presidente da República se tenha pronunciado a favor da criminalização do enriquecimento ilícito. 

Logo ela que há alguns meses atrás menosprezou a importância da corrupção apelidando-a de cassete, opção muito pouco feliz e muito cobarde que eu critiquei aqui https://pacheco-torgal.blogspot.com/2020/08/um-infeliz-editorial-sobre-o-partido.html e como ela própria também não o esconde, mais ainda lhe custa a engolir, que neste momento haja deputados que pretendam transformar em lei uma proposta do Sindicato dos juízes,  numa prosa pretensamente sensata mas que tem tanto de hipócrita como de despudorada, e que um artigo do conhecido advogado Teixeira da Mota hoje no Público serve como excelente e certeira resposta. https://www.publico.pt/2021/04/23/opiniao/noticia/abriu-epoca-caca-1959652

E para grande azar, esta semana a referida revista vê-se obrigada pela ERC, a publicar uma carta de duas páginas, por conta do direito de resposta de uma professora, que a revista em causa terá alegadamente tratado de forma pouco rigorosa num artigo de título "A Reitora do faz de conta",  embora em abono da revista se diga que a referida revista devia colocar o mesmo empenho com que investigou a tal "Reitora", a investigar antes alguns dos mais rasteiros políticos Portugueses, ao invés de preferir desvalorizar o gravíssimo problema da corrupção, que há muito empobrece este país, como faz a revista Sábado, que esta semana dá a conhecer o impressionante currículo de um deputado socialista de apelido Tóni Texugo. 

A página do caderno principal do Expresso hoje publicado informa que de acordo com uma recente sondagem apenas 10% dos Portugueses acreditam viver em plena democracia. Curiosamente no post abaixo de há quatros dias atrás escreveu-se que:
 "...e de facto não há qualquer razão para acreditar que ainda vivamos numa democracia mas antes num simulacro dela, capturada que ela foi há muito pela excelsa gatunagem e pelas leis que protegem a própria gatunagem" https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/04/catedratico-afirma-que-o-direito-e-uma.html

Informa também hoje o mesmo Expresso que um altíssimo representante da maçonaria foi ouvido no Parlamento e durante essa audição chamou os deputados não maçons de ignorantes, significando isso que neste país os maçons são os novos aristocratas, quem não é maçon não passa de um ignorante plebeu que nem sequer devia poder estar no Parlamento, a instituição que é segundo a referida figura o maior templo maçonico deste país. Muito pior do que isso porém ainda se pode ler no mesmo Expresso, que o juiz maçon e Secretário de Estado Belo Morgado, está muito contente porque vão acabar com o tribunal onde está o juiz Carlos Alexandre. E quando um maçon está muito contente, ainda por acima logo um maçon que é juiz no Supremo, então é dia de grande festa na maçonaria. Finalmente vão conseguir afastar o juiz Carlos Alexandre dos casos de corrupção envolvendo conhecidos políticos. Este é por isso sem dúvida um dia muito negro para o que ainda resta da democracia em Portugal. 

Esclarecimento - O nome do Secretário de Estado Belo Morgado já tinha sido mencionado neste blog em Janeiro deste ano, por conta do seu gabinete ter contratado por quase 4000 euros/mês, alguém cujo currículo está adornado com um doutoramento anulado por plágio https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/01/3700-eurosmes-para-o-assessor-que.html


quinta-feira, 22 de abril de 2021

The first bricks in the science publishing multibillionaire castle have fallen



Still following the post above about a lucrative disgusting business check the article below just published in the journal Science which shows that the scientific publishing business is changing dramatically and is going to change even more at a very fast pace in the next years. 
"15 journals are outsourcing something central to science itself: the peer-review process. The journals, which include BMJ Open Science and Royal Society Open Science, say they will accept articles reviewed by a nonprofit “peer community”  organization. It’s the first time that journals have guaranteed that they will accept the recommendations of another body with no further review....Or authors can choose to publish the paper—along with PCI RR’s recommendation—as a preprint, bypassing the journal system entirely..."


PS - Is important to remember that even Elsevier already recognized that journals are almost as good as dead:
“…the leaders of Elsevier have now decided that the epoch of journals will soon be over..They now describe the company as a “global information analytics business that helps institutions and professionals progress science, advance healthcare, and improve performance.”...The company recognizes that science publishing will become a service that scientists will largely run themselves…The company thinks that there will be one company supplying publishing services to scientists—just as there is one Amazon, one Google, and one Facebook; and Elsevier aims to be that company.

Caíram os primeiros 15 tijolos do castelo imperial das revistas científicas



Depois de recentemente a Comissão Europeia ter criado uma plataforma para artigos que ficarão em acesso aberto e a custo zero, que veio colocar em causa o lucrativamente repugnante negócio bilionário das revistas científicas, que foi comentado no post acima, chega agora mais um claro sinal da mudança dos tempos, pois aquilo que sempre foi um privilégio exclusivo das revistas científicas vai deixar de o ser, porque 15 revistas acabam de anunciar que prescindem do mesmo, aceitando doravante que as revisões dos artigos passem a ser conduzidas por uma entidade independente. Mais importante ainda e como se reconhece no artigo acessível no link abaixo, depois de uma publicação ter sido revista pelas tais entidades independentes os seus autores podem logo colocá-la online, dispensando inteiramente as revistas científicas, exactamente como vai suceder com os artigos que ficarão online através da tal supracitada plataforma da Comissão Europeia  https://www.sciencemag.org/news/2021/04/fifteen-journals-outsource-peer-review-decisions 

quarta-feira, 21 de abril de 2021

"Ricos pensam que são mais espertos e trabalhadores do que os pobres, embora sejam simplesmente mais cruéis e vigaristas"


"...indivíduos ricos...mentem mais e cometem mais erros, enganos e até roubos quando enfrentam as mesmas situações que os pobres, como demonstrado neste vídeo..."

Apesar do post acima (cujo título foi utilizado como título para o presente post) ser de 21 de Abril deste ano, na verdade há um ano atrás, eu já tinha divulgado o estudo onde se concluiu que em média os ricos tem mais propensão para roubar, enganar e mentir. https://www.businessinsider.com/rich-people-more-likely-to-steal-cheat-lie-2018-8

A unified index to quantify scientists across disciplines


"the average h-index of the 125 Nobel laureates is approximately 6 times that of other researchers, while the average hu-index is nearly 10 times. The larger difference brought by hu-index gives a discriminative reputation to outstanding individuals”

The new index suggested in the recent paper above has some value but what is really amazing is that 16 years after Hirsh first suggested the h-index his paper has so far received more than 10.000 citations on scholar google. And if by 2008 Hirsch paper was cited more than 300 times a year in 2020 that number raised to more than 1300 citations meaning that the science community is even more obsessed with the quantification of the impact of researchers output. Further evidence of that obsession is given by the fact that the famous paper by Watson and Crick about the structure of DNA "Molecular structure of nucleic acids - a structure for deoxyribose nucleic acid" received around 15000 citations but only after 68 years which is an average of citations three times lower than that of Hirsch´s paper. 

PS - Yesterday the former Director for Research, Innovation and Skills at the Higher Education Funding Council for England just said that UK  Research Excellence Framework should use metrics instead of experts panels to assess the research quality in several disciplines https://www.timeshighereducation.com/news/creator-says-ref-should-swap-expert-panels-metrics-science And one needs not to be a genius to understand that if REF back in 2014 already cost 250 million pounds that´s a lot of money that is not spend hiring researchers and funding important investigations. Especially because recent studies showed that for a high number of disciplines "metrics agree quite well with peer review and may offer an alternative to peer review"

terça-feira, 20 de abril de 2021

Catedrático de Direito afirma que o Direito é uma aldrabice


Um famoso catedrático de Direito da Universidade de Coimbra, Orlando de Carvalho de seu nome, disse um dia que "O povo até tem razão (o Direito) em grande parte é aldrabice...". E nós não temos qualquer razão para duvidar dele, especialmente depois de termos ficado recentemente a saber que os corruptos deste país estão protegidos pela própria lei https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/04/a-bomba-atomica-judicial-do-tribunal.html

Será por certo a mesma aldrabice que permitiu que um catedrático de Direito da mesma universidade de Coimbra tenha feito um parecer a justificar que os 14 milhões de euros que o banqueiro Ricardo Salgado recebeu de um construtor civil eram apenas uma inócua liberalidade, bastando para isso ao referido banqueiro pagar os quase 30.000 euros que custou o douto parecer e dessa forma ajudando a perceber quem são aqueles (além dos corruptos) que muito beneficiam por conta deste país estar acorrentado ao Direito Romano-Germânico, pois é evidente que nos países onde vigora a Common Law, como por exemplo o Reino Unido, não há por lá catedráticos de Direito milionários como há em Portugal. 

Hoje mesmo no jornal Público o jornalista João Miguel Tavares fornece mais informações sobre como é que o Direito Português protege os acusados de corrupção, por conta de oportunos e muito generosos prazos de prescrição e como não podia deixar de ser o seu artigo até menciona um douto parecer de um famoso catedrático de Direito da Universidade de Coimbra.  https://www.publico.pt/2021/04/20/politica/noticia/juiz-deputada-advogado-professor-filho-1959198

Mas se é verdade que o Direito Português é uma refinada aldrabice curiosamente na vizinha Espanha o Direito que por lá utilizam está muito longe de o ser porque naquele país já meteram oito banqueiros na cadeia enquanto que em Portugal nunca houve nenhum que lá tivesse entrado (o Dr. Salgado vai morrer de velhice antes mesmo de ser concluído o processo da falência do BES lá para 2060, o próprio advogado Rui Patrício o afirmou) e o mais espantoso ainda é que vizinha Espanha até há pasme-se Ministros presos por corrupção enquanto em Portugal nunca houve nem haverá algum tão cedo. 

O  conhecido e corajoso Medina Carreira disse há menos de uma década atrás que "não é possível que num regime onde a gatunagem funciona predominantemente que a democracia sobreviva" e de facto não há qualquer razão para acreditar que ainda vivamos numa democracia mas antes num simulacro dela, capturada que ela foi há muito pela excelsa gatunagem e pelas leis que protegem a própria gatunagem e que ajudam a explicar porque é que o destino de Portugal, sangrado pela corrupção que enriqueceu os tais que se andam a rir de nós, é inexoravelmente acabar por tornar-se um dos países mais pobres da Europa.  

PS - Sem qualquer surpresa hoje no Expresso um Conselheiro de Estado diz que a sentença do juiz Rosa sobre o processo Marquês "escancarou duas portas à corrupção", o que parece significar pelo menos uma coisa, os corruptos deste país já estão neste momento a esfregar as mãos de contentamento com a grande festa que vão fazer à conta dos muitos milhares de milhões de euros da bazuca Europeia. Vai ser um regabofe de festas regadas com champagne Louis Roederer Cristal, o tal de mil euros a garrafa, com múltiplos brindes ao juiz Rosa e também como não podia deixar de ser com inúmeras compras de viaturas de luxo, com a vantagem adicional das despesas das mesmas até poderem ser abatidas no IRC. 


segunda-feira, 19 de abril de 2021

Nominations are now open to a 3 million USD prize for science and technology researchers (deadline June 7th)

Still following the Call above for the 1 million euro Gulbenkian prize see below the Call for another prize related to Sustainable Development: 
"The Prize aims to recognize exceptional inventors and researchers from prestigious global academic universities, research labs, as well as grassroots inventors who might not be working in a formal research environment. Any research or technological innovation is eligible to be nominated for the Prize if it addresses everyday issues of people, by being aligned with one or more of the Sustainable Development Goals (SDGs) of the United Nations" https://vinfutureprize.org/

PS - Back in 2019 i made a few comments on a provocative question made by senior Professor Paul de Grauwe at London School of Economics "Why top footballers earn much more than top scientists ?". He advised that it was up to politicians to compensate scientists in an adequate manner because the market could not do it. Which is basically the same as waiting indefinitely for politicians to act.  Fortunately, private organizations like Gulbenkian Foundation and VinFuture Foundation are doing politicians´s job. https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/12/london-school-of-economicswhy-top.html

A guerra entre cientistas e engenheiros

O último número da revista da Ordem dos Engenheiros tornado público há poucos dias contém um artigo de título "Dez axiomas e meio para o Engenheiro Civil" cujo último "meio axioma" afirma que "O cientista descobre o que existe, enquanto o engenheiro cria o que nunca existiu", que me parece possuir o condão de provocar (e no limite até irritar) os cientistas. 

Mas será mesmo assim ou será que a verdadeira diferença entre os primeiros e os segundos é que os engenheiros (pelo menos de algumas especialidades) arriscam muito mais do que os cientistas ? Vide por exemplo o colapso da ponte Tacoma, ou muito recentemente da ponte Morandi, ou o colapso de várias barragens, não esquecendo o famoso naufrágio do Titanic ou a explosão do vaivém espacial Columbia em 2003.  


PS - Importa porém não esquecer que também houve no passado muitos cientistas que arriscaram muito como aqueles cientistas mencionados aqui, ou aqueles cientistas Portugueses cujo nome aparece a págs 28-32 no documento acessível no link http://www1.ci.uc.pt/cd25a/media/Pdf/NReg%208121.pdf ou ainda aqueles cientistas que em pleno século XXI  também arriscam muito e que são mencionados no documento https://www.scholarrescuefund.org/wp-content/uploads/pdf-articles/srf_report-scholar_rescue_in_the_modern_world.pdf o que significa que riscos elevados não advém somente do exercício profissional, mas muitas vezes também do simples exercício da cidadania. 

 

domingo, 18 de abril de 2021

Juízes Portugueses ganham muito mais do que os juízes dos EUA



O Presidente do Supremo Tribunal de Justiça em Portugal, que até há bem pouco tempo ganhava 8130 euros/mês foi aumentado no valor de 700 euros/mês passando agora a ganhar 8830 euros/mês. Ou seja antes do aumento já tinha um salário que era 36% superior (atenta à diferença da riqueza entre os EUA e Portugal aferida pelo PIB/capita) ao cargo que no Supremo dos EUA, é designado por Chief Justice, (e ocupado pelo Juiz John G. Roberts) porém depois do referido aumento a diferença ainda mais se acentuou  passando agora a ser 50% superior. Note-se que por incrível o próprio juiz Ivo Rosa ganha quase tanto como um juiz do Supremo Tribunal de Justiça dos EUA..Aliás sobre o narcisista juiz Rosa merece bem a pena a leitura da recente Oração hoje publicada na revista Sábado "Oração a Ivo Rosa (homilia da Nossa Senhora de Paris)"  

E não deveriam os Portugueses que pagam aos seus juízes excelentes salários, muito maiores do que permite a escassa riqueza deste país, terem direito a juízes com um desempenho profissional excelente como sucede com o juiz Carlos Alexandre ou com os juízes que enviaram o Dr. Armando Vara para a cadeia, em vez de ao contrário, terem juízes do calibre do Rui Rangel e da sua mulher Fátima Galante que somente depois de muitos escândalos é que foram afastados da magistratura, ou juízes do calibre daquele denunciado pelo advogado Teixeira da Mota, ou juízes como aqueles a quem os clubes de futebol pagam bilhetes e viagens para estrangeiro, ou juízes como aqueles que tem a sorte de ter amigos muito generosos ou juízes como aqueles que passam a vida a produzir Acórdãos que fazem a felicidade dos corruptos deste país ?

sábado, 17 de abril de 2021

Ventura campeão da corrupção

 

Relativamente aos 109 posts deste blog onde aparece mencionada a palavra corrupção (quinze no último trimestre de 2019, oitenta e um em 2020 e quase dezena e meia em 2021, o que dá uma média de um por semana) o post sobre o André Ventura ainda continua a ser o campeão das visualizações. Já o segundo e o terceiro lugares são ocupados respectivamente pela Procuradora Jubilada Maria José Morgado e pela prostituição da República Portuguesa:


PS - Hoje na imprensa alguém que foi Director do Expresso durante 22 anos, escreve que o juiz Rosa não quis fazer justiça no processo Marquês mas apenas atacar o Ministério Público e o juiz Carlos Alexandre e avança com três hipóteses sobre o comportamento do juiz Rosa, ou ele fez-se de parvo, ou quis fazer os Portugueses de parvos ou é então é ele próprio que é parvo. 


sexta-feira, 16 de abril de 2021

Patentes__Univ. do Minho com melhor desempenho que a Univ. de Lisboa e a Univ. Nova juntas



Relativamente à recente noticia no link acima sobre as universidades com mais patentes nos últimos 5 anos, é evidente que só se pode comparar aquilo que é comparável, não fazendo sentido comparar uma universidade que tem milhares de docentes com uma universidade que tem poucas centenas, pelo que no mínimo importa fazer comparações para igual número de pessoal docente. Lista Abaixo.

1º - Univ. do Minho............20 patentes por cada centena de docentes ETI
2º - Univ. do Porto.............16
3º - Univ. de Coimbra........14
4º - Univ de Aveiro............12
5º - Univ. Nova..................10
6º - Univ. de Lisboa.............9
7º - UBI...............................8
8º - Univ. de Évora..............4

Já não bastava às duas universidades Lisboetas apresentarem um resultado muito abaixo do esperado em termos de produção de livros indexados ou em termos do número de revisores mais prolificos e o mesmo também agora se confirma com a produção de patentes.  E como aceitar ou sequer compreender esta ineficiência implicita no facto destas duas ricas Universidades (para onde vai a maioria das verbas da Fundação para a Ciência e Tecnologia) juntas apresentarem um desempenho inferior à Universidade do Minho ? 

E como é que a Vice-Reitora da Universidade Nova, Elvira Fortunato, que coordena a investigação daquela universidade consegue explicar a baixa produção de patentes da sua universidade ? Não constituirá isso mais uma prova (a somar à péssima descida daquela universidade no conhecido ranking Shanghai) da evidente ineficácia da sua coordenação ?