domingo, 31 de outubro de 2021

The scientists who have abandon the cowardly Ivory Tower rhetoric



Still following the inspirational position mentioned in the post above about some courageous scientists who decided to abandon the cowardly (as usual) Ivory Tower rhetoric to engage in direct rebel like actions, https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/10/scientists-as-activists.html see below one of the latest papers by the Alliance of World Scientists "the only independent, grass-roots organization comprised of scientists from around the world committed to the well-being of humanity and the planet" of which I´m a member: 
"Overconsumption presents a major obstacle to social and environmental sustainability. Systemic social, legal, and economic strategies are absolutely necessary, but individuals are still accountable for their lifestyle choices and associated environmental footprints. Anti-consumption (rejection, reduction, reclamation) has its limitations but could contribute to pro-environmental change, helping resolve biodiversity and climate crises. Regardless of societal consumption patterns, individuals can still make great gains in well-being and personal development by upholding their environmental and social values, minimizing personal resource consumption. Challenging the cultural norms of overconsumption requires individuals to employ mental fortitude in attempts to act justly toward the entire community of life" https://www.berghahnjournals.com/view/journals/nature-and-culture/16/3/nc160302.xml

PS - Let´s not forget that the fashion industry (which is addicted to a throwaway culture) is responsible for more carbon dioxide emissions than the aviation and cement industry combined

sábado, 30 de outubro de 2021

A podridão na justiça Portuguesa não conhece limites



Já não bastava que quase 70% dos condenados por pedofilia apanhem pena suspensa, vide link acima,  já não bastava que mais de 90% dos condenados por corrupção apanhem uma pena de cadeia suspensa,  já não bastava a suprema incompetência (e vergonha) da justiça não ter retirado o passaporte ao Rendeiro e não ter sido capaz de o impedir de vender quadros penhorados, já não bastavam as bizarras e incompreensíveis decisões daquele juiz (que quase 200.000 Portugueses querem ver fora dos tribunais),  já não bastava haver magistrados que se dedicam a perseguições e à extorsão de cidadãos honestos como denunciou há não muito tempo um Conselheiro de Estado, https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/03/conselheiro-de-estado-denuncia.html  já não bastava que um ex-deputado do PS (Ricardo Rodrigues) condenado por roubo tenha sido nomeado para o Conselho Superior dos Tribunais Administrativos e Fiscal, já não bastava que um deputado do PS e advogado (Manuel Gameiro) que foi condenado por ter ficado com quase 50.000 euros de um cliente,  tenha sido escolhido para o Conselho de Fiscalização do Sistema Integrado de Informação Criminal,  já não bastava que tivessem convidado este inacreditável individuo para avaliar candidatos a magistrados e hoje fica-se também a saber pelo semanário Nascer do Sol, que também convidaram para avaliar candidatos a magistrados, um individuo que conta no currículo com uma condenação de quase 15 anos de cadeia por terrorismo ! https://sol.sapo.pt/artigo/751345/antigo-bombista-das-fp-25-avaliou-candidatos-a-juizes-e-a-magistrados-do-mp

Que tipo de candidatos é que um condenado por terrorismo acha que são os mais indicados para a magistratura? Será que são juízes como o Ivo Rosa que proibiu a Judiciária de fazer escutas a suspeitos de terrorismo e não contente com isso até mandou libertar suspeitos de terrorismo?  Quanto tempo faltará para que convidem um condenado por pedofilia para avaliar candidatos a magistrados ? E se como parece ser abundantamente evidente que neste país ter cadastro se tornou sinónimo de um excelente currículo para ocupar cargos públicos, quanto tempo faltará para que a Presidência da República começe a atribuir condecorações aqueles que se destacaram no mundo crime, como por exemplo, com a atribuição da medalha para o campeão nacional da lavagem de dinheiro ou da medalha para o campeão nacional de burlas ou da medalha para o campeão nacional que abusou sexualmente do maior número de crianças ?

PS - Informa o referido semanário Nascer do Sol, que o tal condenado por ter sido membro de uma organização terrorista, que matou quase duas dezenas de pessoas, recebe vários milhares de euros por mês enquanto funcionário público no ISCTE, faz por isso sentido perguntar, como se sentirão os familiares daqueles que foram assassinados pela referida organização terrorista ao saberem que os seus impostos servem para pagar o vencimento desse individuo ? 

sexta-feira, 29 de outubro de 2021

Incompreensíveis, Inadmissíveis e Insuportáveis Incoerências carbónicas

 

Faz algum sentido que Portugal tenha sido o primeiro país do mundo a anunciar a neutralidade carbónica para 2050, como é referido na revista Visão desta semana, se depois vemos um Presidente da República a felicitar alguém que emite díóxido de carbono por desporto e também que o Governo Português tenha andado a desperdiçar o dinheiro dos contribuintes em desportos que são responsáveis pela emissão de milhões de toneladas de dióxido de carbono ? https://pacheco-torgal.blogspot.com/2020/10/um-espetaculo-criminoso-pago-com-o.html

O mais irónico é o facto dos adeptos os desportos motorizados (e muitos outros), pretenderem ignorar que não haverá neutralidade carbónica sem uma elevada taxa de carbono e que a mesma irá obrigar a um aumento do custo dos combustíveis fósseis, pelo que se é verdade que neste momento o custo dos combustíveis em Portugal é ditado em grande parte pelo peso de taxas e impostos, no futuro mesmo que houvesse uma eventual (mas pouco provável) redução dos mesmos não haveria uma redução do custo dos combustíveis devido ao expectável e inevitável aumento do valor da taxa do carbono. 

PS - Em Maio deste ano a tonelada de carbono atingiu os 50 euros e no entretanto e de acordo com o Financial Times  já chegou aos 65 euros https://www.ft.com/content/c1595f64-5a31-4e7b-bf98-9f5fcbb4e970 sucede porém que como deu conta a revista The Economist em Junho de 2020 o sector bancário já então andava a fazer testes de stress com um preço de carbono de 100 euros e o Governo do Canadá já antecipou subidas anuais do custo do carbono para atingir quase 150 euros no final dos próximos nove anos, já a nível europeu as estimativas apontam para uma tonelada de carbono a custar 180 euros em 2030,  mas pior do que isso há estudos anteriores, por parte do catedrático jubilado James K. Boyce, da universidade Massachusetts Amherst) onde se analisa um trabalho do Nobel Nordhaus, que apontam para a necessidade de valores do custo do dióxido de carbono muitíssimo superiores, num cenário de uma subida de temperatura de 2.5 ºC relativamente a níveis pré-industriais: "The price required to achieve the 2.5 °C maximum starts more than six times higher at about $230/mt CO2 in 2020, rising to about $1000 in 2050"

Peter Kalmus teaches incoherent scientists an important lesson

 


Still, on the incoherent scientists mentioned in the above post, who spend their lives talking about the importance of reducing carbon emissions but who do not make the slightest effort to fulfill their share of this obligation, it is pertinent to recall the recent words of NASA scientist, Peter Kalmus, who says that "the worst activity that can be done for the health of the Planet is to sit in a plane". 

Peter Kalmus reveals on his personal page https://peterkalmus.net/about/ that he managed to reduce his annual carbon footprint to just 2 tons, an impressive figure that represents only 10% of the average carbon footprint of a North American, but which is still above the 1.6 tons/year threshold mentioned in the paper of Jason Hickel "Is it possible to achieve a good life for all within planetary boundaries?" https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/10/is-it-possible-to-achieve-good-life-for.html

However, an annual threshold of 1.6 tons/year is a very difficult one to live with, at least for the consumption patterns of rich countries, because it only takes someone to eat steaks or hamburgers, half a dozen times a week to exhaust this value. Be there as it may, at least theoretically, there is always the possibility of buying carbon credits from the billions of people in third world countries whose carbon footprint is much lower than the 1.6 tons/year, or by doing what Norway did when it paid Indonesia $24 million to prevent deforestation, thus avoiding the emission of 4.8 million tons of carbon, which means a cost per ton of carbon of only $5. https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/09/the-economist-worlds-biggest-carbon.html

PS - A recent paper authored by more than a dozen scientists from universities in the US, Canada, and the UK analyzed climate scenarios beyond 2100 (many of the 140 million humans who were born in 2021 will still be alive beyond 2100) and their projections https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/gcb.15871 show that there will be a serious reduction in the areas available for food production  (being overwhelmingly evident that it is not possible to feed a much larger population with a much smaller amount of foodand also that the tropical regions will no longer be inhabited by humans. A conclusion that is not much different from the prediction made by Oxford Professor Raymond Pierrehumbert back in 2019 "Heat stress could make half the planet uninhabitable for mammals outdoors"

quinta-feira, 28 de outubro de 2021

Universidade dá preferência a doutorados com atestado de patologia do foro mental



Somando a frase do físico Carlo Rovelli, mencionada no final do post acima com o tal estudo sobre a esquizofrenia e doença bipolar, envolvendo quase 12.000 familiares de professores universitários efectivos (com tenure) de universidades da Dinamarca (que foi objecto de um post neste blog há 2 anos) e ainda com o tal estudo de investigadores do Reino Unido, Holanda e Suécia, que correlacionou a esquizofrenia e o número de prémios Nobel de vários países e o qual foi publicado na revista Journal of Creative Behaviorserá que os concursos de selecção de professores universitários e investigadores não deveriam ter um critério que valorizasse os doutorados portadores de um atestado de patologia do foro mental ?

University gives preference to candidates with a certificate of mental pathology

 


Taking into account the phrase by physicist Carlo Rovelli, mentioned at the end of the post above with the study about schizophrenia and bipolar illness involving almost 12,000 family members of tenured professors from universities in Denmark (which was the subject of a post on this blog 2 years ago) and also with the study by researchers from the United Kingdom, the Netherlands and Sweden, which correlated schizophrenia and the number of Nobel Prizes in several countries published in the Journal of Creative Behavior, shouldn´t universities give preference to those applying for professorship holding a certificate of mental pathology?


Péssimo futuro para os 140 milhões de humanos nascidos no ano de 2021 e para os 140 milhões que vão nascer em 2022...

 

Um recente artigo com autoria de mais de uma dezena de cientistas de universidades dos EUA, Canadá e Reino Unido, o qual analisou cenários climáticos para além do ano 2100 (note-se  que muitos dos 140 milhões de humanos que já nasceram ou ainda vão nascer até ao final de 2021 ainda estarão vivos depois do ano 2100) revela que haverá uma grave redução das áreas disponíveis para a agricultura (sendo absolutamente evidente que não é de todo possível alimentar uma população bastante mais numerosa com uma quantidade de alimentos bastante menor) e também que as regiões tropicais deixarão de poder ser habitadas por humanos, uma área geográfica onde actualmente vivem mais de 1500 milhões de pessoas e que em 2100 terá mais de 2000 milhões.

PS - Trata-se de um cenário catastrófico que não é muito diferente daquele que já tinha sido previsto em 2019 por um conhecido cientista da Universidade de Oxford https://pacheco-torgal.blogspot.com/2020/11/o-cientista-que-afirma-que-metade-do.html

quarta-feira, 27 de outubro de 2021

A esterilidade inovadora das empresas Portuguesas ou mais uma prova do desperdício de dinheiros públicos



Ainda na sequência do post acima onde se mostrou que foi uma péssima ideia despejar milhares de milhões de euros em créditos fiscais em empresas que se mostraram incapazes de transformar essas verbas em produtos inovadores é pertinente olhar para o recente artigo publicado na revista Scientometrics que analisou 1147 empresas de 54 países com publicações indexadas na Web of Science e que mostra que a Suiça, a Noruega e a Finlândia são os países onde as empresas tem mais publicações indexadas na Web of Science (vide Fig 1)  https://link.springer.com/article/10.1007/s11192-021-04159-8 Portugal esse (não sem surpresa) não aparece no referido estudo ao contrário de países como o Chipre ou até mesmo o Brasil (cujo PIB/capita é apenas 30% do nosso) que lá aparece com 9 empresas.  

Recorde-se que de acordo com um Inquérito que foi tornado público em Agosto deste ano, pela Direcção Geral de Estatisticas da Educação e da Ciência sobre as empresas que anualmente gastam mais em investigação (que mais créditos fiscais recebem e que por conseguinte mais conseguem reduzir o valor dos impostos a pagar) se podem ler os seguintes e muito curiosos valores: 

Grupo NOS.....67 milhões (12 doutorados)
Altice...............59               (5)
Bial..................44               (60)
Banco BCP......33               (-)
Sonae..............24               (8)
GALP...............21                (-)
Banco BIC.......19                (-)
SECIL..............16                (4)

O Inquérito revela também que dezenas de empresas não deram autorização para que a sua informaçao fosse tornada pública, uma situação estranha que não deveria sequer ser permitida, porque quem quer receber créditos fiscais (leia-se subsidios, Aguiar-Conraria dixit) não deve poder recusar ser escrutinado publicamente, como condição para os merecer.  

PS - Recorde-se que o Governo da Suiça não dá créditos fiscais às empresas para actividades de investigação https://www.oecd.org/sti/inno/2498389.pdf e também não aceita que a compra de carros de luxo, como Ferraris, Lamborghinis ou outros, possa ser deduzida ao IRC como acontece em Portugal. E menos ainda aceita que o dinheiro dos contribuintes daquele país sirva para comprar Porsches, que é outra aberrante moda do nosso país  https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/12/a-escola-profissional-que-abriu-um.html

Professores e investigadores de Engenharia em Portugal dominam decisões editoriais

 

Já se sabia que eram as Engenharias que apresentavam os melhores resultados nacionais no ranking Shanghai por áreas (ranking mundial que compara publicações, citações, colaborações internacionais e prémios e que é o único ranking que é mencionado no relatório "Europe – the Global Centre for Excellent Research"e agora fica-se também a saber, pela lista abaixo relativa aos Professores e Investigadores com mais de 100 decisões editoriais confirmadas, em revistas indexadas na Web of Science, da existência de uma predominância de quase 50% de professores e investigadores das diversas Engenharias, e isto apesar dos investigadores das Engenharias representarem apenas 16% do total dos 19418 investigadores doutorados existentes nas unidades de investigação que foram avaliadas pela FCT no último exercício. 

 
1.     1.     Jorge de Brito (ULisboa)..................Engenharia Civil
2.     Tony Almeida (UCoimbra)................Engenharia Electrotécnica
3.     Fernando Pacheco (UTAD)..............Geologia
4.     Teresa Rocha-Santos (UAveiro).......Ciências do Ambiente
5.     José Franco (ULisboa).....................Estudos Florestais
6.     João Oliveira (UNova)......................Engenharia Mecânica
7.     Cristina Silva (UCatólica)..................Biotecnologia
8.     F.Pacheco Torgal (UMinho)..............Engenharia Civil
9.     J.Ramalho-Santos (UCoimbra)........Bioquímica
10.   Artur Alves (UAveiro)........................Biologia
11.   Rafael Caldeirinha (IPLeiria)............Engenharia Electrotécnica
12.   César Vasques (IPV.Castelo)...........Engenharia Mecânica
13.   C. Nunes Silva (ULisboa).................Geografia
14.   Yang Ma (UCoimbra)........................Biotecnologia
15.   Carlos Chastre (UNova)...................Engenharia Civil
16.   Verónica Ferreira (UCoimbra)..........Ecologia
17.   Teresa Cunha (IPO Lisboa)..............Medicina
18.   Castorina S. Vieira (UPorto).............Engenharia Civil
19.   António Calado (UAveiro).................Biologia
20.   J.Valente de Oliveira (UALG)............Engenharia Informática
21.   Sónia Carabineiro (UNova)...............Biotecnologia
22.   Paulo Lourenço (UMinho).................Engenharia Civil
23.   José Duarte (UPorto)........................Medicina
24.   Cláudia Sarrico (ULisboa).................Gestão
25.   Mário Costa (ULisboa)......................Engenharia Mecânica
26.   J.Torres-Sospedra (UMinho).............Engenharia Industrial

PS - Ainda sobre a vantagem do desempenho das Engenharias face a outras áreas científicas convém recordar isto https://pacheco-torgal.blogspot.com/2020/01/portugalengenharias-produzem-maior.html

terça-feira, 26 de outubro de 2021

Peter Kalmus, o investigador da NASA que ensina os cientistas incoerentes

 


Ainda sobre os cientistas incoerentes (leia-se hipócritas) mencionados no post acima, os tais que passam a vida a falar na importância da redução das emissões de carbono mas que não fazem o mínimo esforço para cumprirem a sua quota parte dessa obrigação, é pertinente relembrar as recentes palavras do cientista da NASA, Peter Kalmus, que afirma que "a pior actividade que se pode fazer para a saúde do Planeta é sentar-se num avião". O referido cientista revela na sua página pessoal https://peterkalmus.net/about/ que conseguiu reduzir a sua pegada carbónica anual para apenas 2 toneladas, um valor impressionante que representa somente 10% da pegada carbónica média de um Norte-Americano, mas que mesmo assim ainda está acima do tal valor limite de 1.6 toneladas/ano que foi mencionado no artigo do Jason Hickel, da Universidade de Londres https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/10/e-possivel-uma-vida-boa-para-todos.html 

Contudo um valor anual de 1.6 toneladas/ano (4kg de CO2/dia) é um valor bastante difícil de alcançar, pelo menos para os padrões de consumo que são a norma nos países ricos, porque basta que alguém coma o equivalente a 60 gramas de bifes por refeição para rapidamente esgotar esse valor (um cheese burger duplo leva quase 200 gramas de carne). https://www.economist.com/graphic-detail/2021/10/02/treating-beef-like-coal-would-make-a-big-dent-in-greenhouse-gas-emissions  

Não é por acaso que se diz que é preferível ter uma dieta de baixas emissões a ter uma viatura eléctrica. https://www.theguardian.com/commentisfree/2016/feb/22/solar-cars-vegan-diets-climate-change e também não foi por acaso que em 2019 o Michael Mann, director do Earth System Science Center na Pennsylvania State University se referiu à importância de evitar as viagens de avião e de reduzir o consumo de carne, que constitui uma das seis acções fundamentais enunciadas pela Aliança dos Cientistas a nível Mundial  https://www.scientistswarning.org/six-steps/

Infelizmente até mesmo o nosso país, que está longe de ser um país rico, soube-se recentemente que apresenta um consumo de carne muito superior aquele que seria desejável  https://www.publico.pt/2021/10/15/sociedade/noticia/portugueses-estao-comer-dobro-recomendado-forma-desequilibrada-1981217 Isto já para nem falar do péssimo desempenho de Portugal em termos internacionais no respeitante ao Overshoot day https://www.overshootday.org/newsroom/country-overshoot-days/

Porém, pelo menos teoricamente, há sempre a hipótese, de se comprarem créditos de carbono aos milhares de milhões de pessoas dos países do terceiro mundo cujo pegada carbónica é muito inferior ao tal valor de 1.6 toneladas/ano, ou de fazer o que fez a Noruega que pagou 24 milhões à Indonésia para impedir deflorestação, assim evitando a emissão de 4.8 milhões de toneladas de carbono, o que significa um custo por tonelada de carbono de apenas 5 dólares.  https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/09/the-economist-worlds-biggest-carbon.html

PS - É claro que a forma mais eficaz de convencer as pessoas a reduzir a sua pegada carbónica não passa tanto pela publicitação de bons exemplos individuais como o do Peter Kalmus mas antes através de um imposto como aquele que foi mencionado neste blog num post de 11 de Março e num outro post mais contundente, de 11 de Agosto deste ano, onde inclusive se fez referência a um Imposto sobre o carbono das pessoas singulares-ICS  https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/08/arrancar-forca-os-seus-confortaveis.html

segunda-feira, 25 de outubro de 2021

von der Leyden´s dream came truth__ An innovative sustainable structural material was discovered

 


Since Ursula von der Leyden was so much worried about the carbon emissions of steel and Portland cement (post above) no doubt she will be very happy to hear about the recent discovery of a sustainable construction material that just made it to the cover of Science´s last issue.  The 3D-molded wood is six times stronger than the starting wood and comparable to lightweight materials like aluminum alloys. 

The bad news is that it may take several (or even dozens) years for this material to become widely used by the construction industry. Just look for what is happening to the alkali-activated based binders that aim to replace Portland cement but which after decades have yet to win over the construction industry 

As Provis and Van Deventer wrote in the introductory chapter of their 2009 highly cited book:
“a material that is well characterized but not used in the real world is in effect useless” 
so let´s hope that the new sustainable structural material will not remain useless for too long.

O inovador e multiplamente virtuoso super-bónus fiscal que permite resolver vários problemas simultaneamente

 


Ainda na sequência do post cima onde se recordou que, é economicamente menos eficiente em termos de redução das emissões de carbono comprar um carro eléctrico do que reabilitar uma habitação, acompanho a opinião do historiador Rui Tavares, hoje no jornal Público que acha que Portugal deveria copiar o super-bónus fiscal criado pelo Governo do doutorado Mário Draghi (o mesmo que salvou o euro e cujo Orientador de doutoramento foi o Nobel de Economia Modigliani), no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência da Itália e que comparticipa em 110% a reabilitação energética de edifícios. Esse super-bónus permitiria aos contribuintes Portugueses reduzir a factura energética com um gasto de zero euros, e ainda receber um crédito fiscal no valor de 10% da intervenção. Isto já para nem falar da importante redução das emissões de carbono e da não menos importante (e elevada) criação de emprego associados ao referido super-bónus. 

PS - Ainda sobre as expectativas da Presidente da Comissão Europeia relativamente ao desempenho do ambiente construído vale a pena recordar isto aqui  https://pacheco-torgal.blogspot.com/2020/10/presidente-da-comissao-europeia-viu-o.html

sábado, 23 de outubro de 2021

Escândalo milionário na Justiça Portuguesa


Estupefacção é a única palavra que me ocorre perante o vergonhoso conteúdo de um artigo na revista do Expresso, com o título "O negócio milionário da justiça arbitral do Estado" 
https://expresso.pt/sociedade/2021-10-24-O-negocio-milionario-da-justica-arbitral-do-Estado-e0b3279e  onde se fica a saber que o Estado Português aceitou ser julgado em tribunais privados quase secretos, que ocorrem "nos luxuosos escritórios das maiores sociedades de advogados" e onde de forma regular tem vindo a ser condenado a pagar indemnizações milionárias (muitíssimo superiores aquelas que são a regra em tribunais judiciais e administrativos), sendo que a conta a pagar, com os impostos dos contribuintes, já vai em largas centenas milhões de euros, que ficaram fora do escrutínio do Tribunal de Contas. 

Diz a jornalista que a "culpa" é do facto das grandes empresas só aceitarem fazer contratos com o Estado se as disputas forem resolvidas num tribunal arbitral e com uma cláusula de confidencialidade ! Moral da história, este país está a saque e agora já nem sequer se pode saber quem o anda a saquear. Felizmente porém que nem tudo é secreto e a jornalista revela detalhes de um contrato entre uma Câmara Municipal e uma empresa privada a que o tribunal arbitral mandou pagar uma indemnização milionária, mesmo sabendo-se que os termos do contrato foram alterados pela própria empresa para se beneficiar a si própria, em violação do caderno de encargos, tendo nele incluido uma nova previsão de receitas, empolada em mais de 100 milhões de euros. 

É pena porém que a jornalista tenha feito um artigo tão extenso sobre os tribunais arbitrais e não tenha achado importante lembrar o famoso (leia-se escabroso) caso de um ex-professor de Direito da universidade de Coimbra que se dedicava a falsear as sentenças do tribunal arbitral que ele próprio tinha criado ! 

Os honorários dos árbitros (de luxo) dos tribunais privados são da ordem de centenas de milhares de euros, de tal forma que a jornalista fala de "honorários nunca sonhados". Num único caso cada um destes árbitros (de luxo) pode receber mais do que recebe um juiz ao longo de vários anos de trabalho onde tem de julgar centenas de casos ! Note-se que só no caso do TGV em que um consórcio pediu uma indemnização de 168 milhões ao Estado, cada um dos três árbitros (de luxo) levou para casa mais de 200.000 euros e como o artigo refere que os advogados recebem quase quatro vezes mais do que o custo dos árbitros então só neste caso a conta dos advogados foi de mais de 2 milhões de euros. Não admira por isso que haja advogados a dizerem que um salário de 4000 euros/mês é "indignamente baixo" https://pacheco-torgal.blogspot.com/2020/10/os-portugueses-que-acham-que-um-salario.html

O distintíssimo senhor que aparece na imagem que inicia este post é alguém que o artigo supracitado, hoje publicado no Expresso, faz crer ser uma espécie de campeão (de luxo) das arbitragens jurídicas, há porém quem o conheça por conta de outras actividades, como por exemplo a de ter sido o representante legal das off-shores do ex-banqueiro Rendeiro. 

No contexto supracitado é importante recordar um post anterior sobre como neste país se brinca com o dinheiro dos contribuintes https://pacheco-torgal.blogspot.com/2020/12/estado-portugues-paga-milhares-de.html

Professores universitários e investigadores pagam mais IRS do que as famílias super-ricas



Já não bastava, como se deu conta nos posts acima, que a Academia Portuguesa tenha vencimentos muito inferiores aqueles que se praticam nas universidades de vários países europeus (onde há bolsas de doutoramento de 4600 euros/mês e professores-auxiliares a receber entre 10.000 e 15.000 euros/mês), países esses que convém recordar contra os quais Portugal tem de competir directamente pelas verbas de projectos europeus, também já não bastava que num relatório europeu se possa ler que as pensões futuras daqueles professores universitários e investigadores Portugueses que começaram a carreira há poucos anos serão muito inferiores aos seus vencimentos, sendo pouco mais do que miseráveis https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/10/masoquismo-academicoparte-2.html e agora fica-se também a saber, através de declarações de um responsável do fisco, num artigo na página 49 da revista Visão desta semana, que as 1000 famílias que o fisco Português considera super-ricas, pagam taxas de IRS inferiores a 30%, ou seja pagam menos do que aquilo que pagam muitos Professores Universitários e investigadores. 

PS - Hoje no Expresso e quando perguntada sobre se acha que a corrupção (essa chaga que há muito empobrece este país ao mesmo tempo que enriquece alguns filhos da puta) está a aumentar, a Ministra da Justiça reponde que não. Trata-se de uma posição muitíssimo diferente da posição do ex-Presidente Ramalho Eanes que afirmou que havia no nosso país uma epidemia de corrupção. E entre acreditar num Português que teve a inusitada coragem de recusar receber mais de 1 milhão de euros de retroactivos de reforma ou acreditar na referida e mui lamentável senhora que alguns Procuradores, como por exemplo o Procurador Jubilado Euclides Dâmaso, disseram que pretende dificultar ainda mais o combate à corrupção, cada um que decida qual aquele cuja opinião lhe parece mais digna de crédito. 

quinta-feira, 21 de outubro de 2021

Study on academic inbreeding involving thousands of academics in 140 countries

 

"The findings show that homegrown academics research agendas are not designed with the potential to lead to scientific discovery (and research breakthroughs, which involves a greater risk-taking attitude)" https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/hequ.12328

The results of the aforementioned study confirm something that is not at all surprising, but rather intuitive and that had even been mentioned by physicist Carlo Rovelli, when two years ago he stated that "You have to be a rebel to be a creative scientist" 

However, its a pitty that the authors had not cross the results of inbred academic percentage per country with the Nobel prizes in order to validate the hypothesis that associates countries with a low inbred academic percentage with a high number of Nobel prize winners. 

Estudo sobre a endogamia envolvendo milhares de académicos em 140 países explica o inconseguimento Português

 


Ainda na sequência do post cima que mostrou bem o lamentável resultado da profunda endogamia na Academia Portuguesa, atente-se no estudo de título "Academic inbreeding and choice of strategic research approaches" publicado há pouco tempo na revista Higher Education Quarterly, que analisou e confirmou que os académicos endogâmicos são científicamente menos inovadores e menos ambiciosos. Os resultados mostraram que as agendas de investigação dos académicos endogâmicos apresentam menos potencial para conduzirem a grandes descobertas, que estejam associadas a um maior risco: 
"The findings show that homegrown academics research agendas are not designed with the potential to lead to scientific discovery (and research breakthroughs, which involves a greater risk-taking attitude)" https://onlinelibrary.wiley.com/doi/full/10.1111/hequ.12328

Talvez agora se perceba melhor não só porque é que Portugal não ganha um Nobel da ciência há mais de 70 anos  mas também porque é que nem sequer consegue ter um único cientista naquele famoso grupo de quase 400 que segundo a Clarivate Analytics possuem uma obra invulgarmente citada e com elevado potencial para receberem um Nobel e de onde já sairam mais de 60 prémios Nobel da ciência https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/10/os-dois-premios-nobel-cuja-vitoria-ja.html

PS - Os resultados do estudo supracitado confirmam algo que não é nada supreedente, mas antes até bastante intuitivo e que até já tinha sido referido pelo Físico Carlo Rovelli, quando há dois anos atrás afirmou que “É preciso ser rebelde para se ser um cientista criativo” https://www.publico.pt/2019/11/23/ciencia/entrevista/carlo-rovelli-compreender-curvatura-espaco-tempo-quase-trip-psicadelica-1894617

quarta-feira, 20 de outubro de 2021

The prophet of academic doom



Still following the post above check a very recent article on The Chronicle of Higher Education about the late Emeritus Professor Robert Nisbet who accused universities of having betrayed themselves.  https://www.chronicle.com/article/the-prophet-of-academic-doom 

And let´s not forget that Professor Nisbet didn´t even see how conservative donors are now forcing universities to make changes in curriculum and also to have a say on the profile of professors. At least Professor Beverly Gage at Yale University preferred to resign than to accept such undue interference as was revealed in an article in the latest issue of The Economist https://www.economist.com/united-states/a-prominent-academic-resigns-after-benefactors-try-to-exert-influence-over-her-curriculum/21805573

PS - On this issue, it is also worth remembering revealing events like the suicide of Full Professor Stefan Grimm https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/09/imperial-collegegreat-scientists-leave.html


Presidente do Sindicato dos juízes diz que Tribunal Constitucional garante a impunidade dos corruptos



Hoje na página 8 do Público o Presidente do Sindicato dos juízes confirma muito daquilo que escrevi no post acima. Isto é, que o Tribunal Constitucional é um Tribunal. a que só recorrem aqueles que "tem muito dinheiro", já que em em média um recurso para aquele tribunal custa 9.400 euros e pode chegar até 22.220 euros, isto sem contar com os honorários do advogado e que o mesmo impede a execução das sentenças do Supremo Tribunal de Justiça, já transitadas em julgado, o que se constitui como uma garantia imoral da impunidade. 


O juiz que consegue adivinhar o futuro

 


No post acima de há mais de um ano comentou-se um juiz curioso de nome Pedro Mourão que tinha ricos e excelentes amigos e que na altura até vaticinou que "o inquérito aberto pelo Conselho da Magistratura sobre o presente caso iria ser com toda a certeza arquivado". 

Então não é que ficou ontem a saber-se que foi efectivamente isso que sucedeu. Ou seja o Conselho Superior da Magistratura (o mesmo Conselho que de forma implacável (mas hipócrita) expulsou o juiz negacionista) veio dizer que afinal o juiz Pedro Mourão não fez nada de suficientemente grave pelo que não há assim lugar a um processo disciplinar.  

Mas se viver numa moradia sem pagar durante 8 anos (ainda por cima uma moradia de um arguido num caso de burla, de nome Carlos Marques, que deve 104 milhões de euros ao BPN), assim poupando centenas de milhares de euros, não é suficientemente grave então isso significa que se alguém der uma mala com centenas de milhares de euros a um juiz isso também não é grave ?

PS - Há três anos atrás alguém que percebe muito de juízes achou boa ideia comparar o currículo do juiz Pedro Mourão com o do juiz Carlos Alexandre e sugeria que cada um tirasse as suas ilações https://portadaloja.blogspot.com/2018/10/mourao-na-costa-com-tiques-subaquaticos.html


terça-feira, 19 de outubro de 2021

The most infectious pandemic in history and the math related critical brain chemical (γ-aminobutyric acid)

 

A few weeks ago Canadian researchers published a paper on The Proceedings of the Royal Society A: Mathematical, Physical and Engineering Sciences concerning a study in which they used infectious disease transmission models in order to clarify mechanisms that contribute to the ‘spread’ of songs. 

Nevertheless, the fact that they found that the “most transmissible genre” had a median R0 of 3,430 which is almost 200 times more "infectious" than measles is not as important as the music considerations on the paper published one year ago titled "Dynamical Systems, Celestial Mechanics, and Music: Pythagoras Revisited".  

At the end of the paper, they mentioned the Golden Records (pictured above) that were included aboard both Voyager spacecraft launched in 1977 having reproduced Sagan´s (who led the committee that was responsible for the content of the records) own words:

"I was delighted with the suggestion of sending a record ... we could send music... Because of the relation between music and mathematics, and the anticipated universality of mathematics, it may be that much more than our emotions are conveyed by the musical offering on the Voyager record" 

Last but not least, and still speaking of mathematics it's rather fascinating that researchers of Oxford University (Department of Experimental Psychology) and Loughborough University (Centre for Mathematical Cognition) recently showed that adolescent students who lack mathematical education exhibited a reduction in a critical brain chemical (γ-aminobutyric acid) in a key brain area that supports maths, problem-solving, memory, learning, and reasoning. 


segunda-feira, 18 de outubro de 2021

Simple recipe to earn more funding and more citations

That well-known physicist from New York University, who was mentioned right at the beginning of the post above, explained a few months ago that it's terrible to tell the truth to politicians:
"On one of the last day of hearings, a congressman asked: “Will we find God with your machine? If so I will vote for it.” The poor physicist who had to answer that question didn’t know what to say. We should have said, this is a Genesis machine that will create the conditions of the greatest invention of all time...Unfortunately, we said Higgs boson. And people said, $10bn for another subatomic particle? And they cancelled the machine" 
The bottom line is, Scientists should never tell the blunt truth to politicians for the simple reason that they are too dumb to understand it. So maybe it would not be a bad idea that those who want to make a career in research should attend a course where they would learn how to translate their research proposals into the rudimentary language that politicians can understand.

The ironic part is that simplicity is advantageous not only for talking to politicians (and thus obtaining funding) but also for receiving more citations, as a study based on more than 20,000 articles, published this year, showed that those who abused jargon in the title and abstract of the articles received fewer citations.

PS - Of course, it is also important not to forget the study carried out by researchers from Harvard, MIT, Aix-Marseille, and Northeastern Univ. which showed what are the more effective languages for worldwide influence https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/12/as-linguas-mais-eficazes-para.html


A receita simples para ganhar mais citações e mais financiamento na Ciência

Aquele conhecido Físico da Universidade de Nova York, que foi mencionado logo no inicio do post acima, explicou há poucos meses que é péssimo dizer a verdade aos politicos:

"On one of the last day of hearings, a congressman asked: “Will we find God with your machine? If so I will vote for it.” The poor physicist who had to answer that question didn’t know what to say. We should have said, this is a Genesis machine that will create the conditions of the greatest invention of all time...Unfortunately, we said Higgs boson. And people said, $10bn for another subatomic particle? And they cancelled the machine" https://www.theguardian.com/science/2021/apr/03/string-theory-michio-kaku-aliens-god-equation-large-hadron-collider

Moral da história ? Os cientistas nunca devem dizer a verdade nua e crua aos políticos pela simples razão que eles são idiotas demais para a conseguirem entender. Assim sendo talvez não fosse má ideia que aqueles que querem fazer carreira na investigação devessem frequentar uma unidade curricular onde aprenderiam a traduzir as suas propostas de investigação para a linguagem rudimentar que os politicos conseguem entender. 

A parte irónica é que a simplicidade é vantajosa não só para falar com politicos (e assim obter financiamento) mas também para receber mais citações, já que um estudo baseado em mais de 20.000 artigos, que foi publicado este ano, mostrou que aqueles que abusaram de terminologia especifica no titulo e no resumo dos artigos receberam menos citações. 


PS - E claro convém também não esquecer aquele estudo levado a cabo por investigadores de Harvard, do MIT, da Universidade Aix-Marseille e da Universidade de Northeastern que foi publicado nos Proceedings da Academia de Ciências dos EUA e que mostrou que se devem evitar os artigos em língua Tamil e também (pasme-se !) em língua Portuguesa https://pacheco-torgal.blogspot.com/2019/12/as-linguas-mais-eficazes-para.html

domingo, 17 de outubro de 2021

Novas normas para edifícios no contexto da resiliência climática e as competências dos diplomados em Politologia

 

https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/09/novo-livro-elementos-de-projeto-para.html

Ainda sobre o livro mencionado no post acima no inicio do mês passado (livro esse que não por acaso conta com o contributo de investigadores do Imperial College e do MIT) é interessante ler as declarações constantes do recente artigo acessível no link abaixo, que aludem à necessidade de alterar as normas de construção de edificios para garantir a resiliência climática daqueles  https://edificioseenergia.pt/noticias/cees-2021-michael-lacasse-resiliencia/?mc_cid=cdd94bb52b&mc_eid=1f027765a9

Ainda sobre a importância do parque edificado é pertinente recordar que no respeitante a reduções de carbono e como ficou bem patente num artigo publicado na conhecida revista The Economist, é muito pouco eficiente substituir veiculos de combustiveis fosseís por veículos elétricos, ao contrário de intervenções energéticas no parque edificado que conseguem as mesmas reduções mas com um custo muitíssimo menor https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/03/the-economistwhats-cheapest-way-to-cut_8.html  

Acresce que como reconheceu há um ano atrás a Comissão Europeia, ao contrário da indústria automóvel, que possui um elevado nível de robotização, a industria de reabilitação de edificios é recordista europeia na criação de emprego: "per euro invested, building renovation is our biggest job creator with 12-18 local jobs for every million invested" estimando a mesma Comissão que até 2030 a referida indústria possa criar 160.000 empregos, o que significa que a aposta neste sector é triplamente virtuosa. Na preparação para um futuro mais resiliente, na eficiencia económica e na criação de emprego. 

Assim e atento o contexto supra percebe-se muitíssimo mal que na composição do novo Conselho da Ciência e Tecnologia e Inovação, haja um politólogo, mas estranhamente não haja ninguém da área da Engenharia Civil  https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/02/os-lideres-academicos-cientificos-que.html ou talvez quem sabe por conta de alguma reforma curricular, que eu desconheça, os diplomados em politologia já estejam em condições de dar palpites sobre as normas de construção de edificios no contexto da resliência climática !

sábado, 16 de outubro de 2021

Paper - excellencemapping.net: A new release of the excellence mapping tool

 

A few days ago the team of the well-known German researcher Lutz Bornmann, updated the tool that finds excellent universities, due to their pattern of Scopus citations. 

The new version also provides insight in terms of Mendeley Readers performance, an indicator of future impact, especially important for young researchers https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/01/early-indicators-of-scientific-impact .html


Novo lançamento da ferramenta de mapeamento da excelência científica

 


Ainda na sequência do conteúdo no post acima sobre prémios Nobel e a desgraçada situação de Portugal no respeitante a citações, faz sentido divulgar que há poucos dias a equipa do conhecido investigador Alemão Lutz Bornmann, procedeu a uma actualização da distribuição de instituições consideradas de excelência, por conta do seu padrão de citações. https://link.springer.com/article/10.1007/s11192-021-04141-4

A nova versão da ferramenta excellencemapping.net também permite conhecer o desempenho em termos de Mendeley Readers, um indicador de impacto futuro, especialmente importante para jovens investigadores https://pacheco-torgal.blogspot.com/2021/01/early-indicators-of-scientific-impact.html 

A nível nacional a liderança pertence à Universidade de Coimbra na métrica de artigos altamente citados e à Universidade do Minho na percentagem de publicações com maior número de Mendeley Readers. Em ambas as referidas métricas constata-se que a Universidade de Lisboa não consegue aparecer nas três primeiras posições, apesar de ser aquela que de longe (e muito irónicamente) recebe mais verbas da FCT.  

Highly Cited Publications 
Univ de Coimbra.........17.2% 
Univ. do Porto.............16.6 
Univ do Minho............16.5  
Univ Nova...................16.5  
Univ de Aveiro............16.4  
Univ. de Lisboa...........16.0

Mendeley Readers)
Univ do Minho............20.4%
Univ Nova...................19.2
Univ de Coimbra.........19.0
Univ. de Lisboa...........17.5
Univ de Aveiro............17.3
Univ. do Porto.............16.6